presxs pelo mundo

LISTA INTERNACIONAL DE PESSOAS SEQUESTRADAS PELOS ESTADOS E CLANDESTINAS, POR LUTAREM CONTRA O SISTEMA TERRORISTA, O CAPITAL, A PROPRIEDADE PRIVADA E PELA LIBERTAÇÃO ANIMAL, HUMANA E DA TERRA.

Inicio de agosto de 2014

A liberdade não se pede, nem se mendiga. Não pode ser reduzida a um simples direito, transcrito em letras miúdas perdido em alguma constituição.

É algo que exala forte como força indomável da natureza. Despreza as leis de dominação com as quais o sistema busca nos isolar, enquadrando-nos em realidades impostas, silenciando o conflito e sepultando em vida as/aos que o enfrentam.

A anarkia, como postura combativa, teima em existir frente a uma história e presente de repressão e perseguição, e assim permanece viva dentro e fora das masmorras, na destruição constante de tudo aquilo que oprime.

A intenção deste listado é sentir-se, mesmo sem se conhecer ou ter trocado olhares antes. Independente do contexto de cada lugar, o sistema é aplicado baseado nas mesmas lógicas de domínio e a busca por liberdade não reconhece fronteiras.

Qualquer ato de lembrar, comunicar, traduzir, se solidarizar nos une, faz com que reconheçamos nossas afinidades e isso é importante para romper o isolamento, a imobilidade e a realidade imposta. Sair da teoria e dar iniciativa a práticas, mantendo assim a solidariedade ativa.

De maneira individual ou coletiva, mande cartas, músicas, livros e o que for possível. Esta lista não pode ser definitiva, seguramente faltam muitos nomes que são tão importantes quanto os que foram citados.

ALEMANHA

Jose Fernandez Delgado: Anarquista. Escapou da prisão em 2004, depois de 23 anos encarcerado. Foi detido junto a Gabriel Pombo da Silva.

Jose Fernandez Delgado
JVA Rheinbach
Aachener Stra 47
53359 Rheinbach (Alemanha)

Tommy Tank: Condenado a três anos e seis meses de prisão por incêndio grave, alteração da ordem pública e tentativa de roubo.

Tommy Tank
Torgau. Zinna 7
04860 Torgau (Alemanha)

Thomas Meyer-Falk: Foi condenado em 1996 a 15 anos e 9 meses por expropriação a um banco, sofrendo isolamento por 11 anos. Na atualidade, com 39 anos de idade, apela contra a decisão de não ter a liberdade condicional desde 2007(depois de cumprir dois terços da pena). Necessita apoio, mas o correio lhe é censurado, assim que se o escreve cuidado com o que põe, e não o faço como nenhum grupo se não como individualidade.

Sua hp: http://www.freedom-for-thomas.de/
Thomas Meyer-Falk
c/o jva freiburg
Hermann-Herder-Str. 8
d 79104 Freiburg
Germany

ARGENTINA

Diego Petrissants: Próximo ao antigo Ateneu Angela Fortunato de Avellaneda. Sequestrado por assalto a produtora televisiva “Tierras del Sur”, de Marcelo Tinelli, magnata das telecomunicações, que comprou terras na patagônia argentina, e despejou a gente originária da região entre elxs, mapuche.

Não encontramos o contato atual do companheiro, mas para conseguir assim como para mais informações, escrever à publicação Tierra y Tempestad:

tierraytempestad@yahoo.com.ar

Adrian Cáceres, o punky Adrian.

Adrian Cáceres Pare
Unidad penitenciaria numero 38 de Sierra Chica
Olavarria
Pabellón numero 8
Cod.Post. Num: 7401- Bs. As

BIELORRÚSSIA

Mikalaj Dziadok: Anarquista condenado em 2011 a 4 anos por ataque ao cassino “Shangri La”, ataque contra o edifício da Federação de Sindicatos e participação em manifestação anti-militarista.

Mikalaj Dziadok
Dedok Nikolai Aleksandrovich
ul. Krupskoj 99A
212011 Mogilev
Tyurma 4, k.128 (Bielorrússia)

Ihar Alinevich: Anarquista condenado em maio de 2011 a 8 anos de sequestro por ataque à embaixada russa em Minsk, queimar um banco, ataque contra o cassino “Shangri La” e manifestação anti-militarista. Após a repressão contra anarquistas em setembro de 2010, Ihar teve que esconder-se das forças especiais no estrangeiro. No dia 28 de novembro de 2010 foi sequestrado pela polícia de Moscou e extraditado de forma ilegal a Bielorrússia.

Ihar Alinevich
Olinevich Igor Vladimorovich
Otryad 12, Brigada 120, IU “IK-10”
Tehnicheskaya ul.8
g. Novopolotsk 211445 Vitebskaya oblast (Bielorrússia)
Mais informações: http://www.avtonom.org/en/node/14931

Artsiom Prapenka: Detido no dia 17 de janeiro de 2011 como suspeito deataque contra a sede da KGB em Bobruisk, no dia 14 de outubro em solidariedade com xs anarquistas detidos em setembro de 2010. No dia 18 de maio de 2011 foi declarado culpado de destruição da propriedade e sentenciado a 7 anos.

Artsiom Prapenka,
Slavgorodskoe shosse, 183
212013, Mogilev, IK-15
(Bielorrússia).

Jauhen Vas’kovich: Detido no dia 17 de janeiro de 2011, acusado de atacar a KGB em Bobruisk no dia 14de outubro de 2010 em solidariedade com xs< anarquistas detidxs em setembro de 2010, condenado a 7 anos de prisão.

Yevgeni Sergeevich
Vas’kovich Tyurma 4,
ul. Krupskoy 99A 212011 Mogilev (Belarus)

Dzmitry Zvan’ko – antifascista de Brest. Detido dia 9 de Maio de 2013 com outros 5 antifascistas por uma suposta briga com a extrema-direita, que teria acontecido no dia anterior. Em custódia os detidos sofreram pressão psicológica e física, porém Dzmitry foi o único que veio a público e prestou uma queixa sobre isso. No dia 19 de Maio 4 detidos foram liberados, Dzmitry foi acusado de hooliganismo e lesão corporal grave (até 10 anos de cadeia). No início de Julho Dzmitry foi solto, mas foi preso de novo em Novembro e está aguardando julgamento.

Em 18 de Março foi considerado culpado e sentenciado a 5 anos de prisão. Além disso terá de pagar 4000,00 euros para o nazista. Se ele pagar um ano pode ser reduzido de sua pena.

Dzmitry Zvan’ko 225295 Brestskaya oblast, Ivatsevichi, p/b 20, IK-22, Volchi Nory

Dzmitry Stsyashenka – antifascista de Brest. Detido dia 04 de Outubro de 2013, sob suspeita de brigas com a extrema-direita, ocorrida dia 8 de Maio de 2013. Supostamente, Dzmitry era procurado desde então. Ele é acusado também em outro processo por brigar com neonazistas – a investigação afirma que ele ameaçou com uma faca um grupo de direitistas no verão. Em 3 de Março foi sentenciado a 4 anos de reclusão. Aniversário 14 de Dezembro

Existem mais companheirxs na prisão por sua luta anti-fascista. Para escrever a todxs estxs companheirxs, fazer através do e-mail da Cruz Negra Anarquista da Bielorrússia, abc-msk@riseup.net e para atualizar a informação dxs companheirxspresxs na Bielorrússia:

http://abc-belarus.org/

BRASIL

Mauricio Norambuena: após ser condenado a duas prisões perpétuas no Chile por sua participação na Frente Patriótica Manuel Rodriguez (grupo armado marxista-leninista de intensa atividade no período da ditadura militar e que seguiu com a luta armada com a entrada da democracia), consegue fugir no dia 30 de dezembro de 1996 de helicóptero da CAS (Carcel de Alta Seguridad).

Mauricio cai detido em Fevereiro de 2002 em São Paulo (Brasil) acusado e condenado a 30 anos pelo sequestro do multimilionário Was 11 anos submetidos a humilhantes condições no infame RDD (Regime Disciplinar Diferenciado), provavelmente o regime de isolamento mais duro da América Latina. Após várias transferências, atualmente se encontra no presídio de Campo Grande- MS. Durante a segunda semana de Novembro de 2012, o juiz federal da 5a< vara, Dalton Igor Kita Conrado rechaçou a petição que apresentou o advogado Alejandro Motta onde solicitava uma mudança de regime para Maurício. A mudança de regime de segurança-máxima para semi-aberto implicava a possibilidade imediata da expulsão para o Chile, que é a vontade de Maurício para estar mais próximo de sua família e companheirxs.

Maurício Hernandez Norambuena:
Penitenciária Federal de Campo Grande- MS
Av. Henrique Bertin, s/n, Jardim Los Angeles
Campo Grande – MS. CEP 79073-785

Alfredo Canales Moreno, 36 anos, é membro do MIR, desde meados dos anos 80, tendo destacada participação no Movimento Contra a Tortura Acedevo Sebastian, foi preso três vezes, no Chile, para participar em ações do Movimiento Sebastián Acevedo, no final Governo Militar e por ser um MIR, em 1992 e 1995, oportunidades em que não se comprovou responsabilidade ou participação ou envolvimento nos crimes contra ele. Desde 1995, deixou o país, destacando-se na obra de caráter internacaionalistas que lhe foram entregues.

Alfredo Canales Moreno – 228.514
Penitenciaria de Itaí
Rodovía Eduardo Saigh – Km 292,5
Caixa Postal 53
CEP 18730-000
Itaí
Sao Paulo – Brasil

Aniversário: 29 de Julio 1970

Maite Bellón Amalia (seu nome seria Martha Urrego Mejia), 29 anos, é colombiana e companheira de Alfredo Canales Moreno. Maite teve que deixar a Colômbia pelas constantes ameaças de grupos paramilitares, sendo uma líder estudantil ativa. Ela tem uma filha que está sendo cuidada pela família de Alfredo Canales no Chile e não foi capaz de viajar para visitá-la.

Martha Urrego Mejia
Ala A 09
Rua Alagoas, 100
Campinas
CEP 13031-210 São Paulo
BRASIL

Aniversário: 24 de Noviembre 1978

Presxs dos Combates de Rua

A partir das revoltas de junho de 2013 houve uma considerável acentuação daconflitividade nas ruas de inúmeras cidades deste território, como conseqüência óbvia houve um também considerável aumento da repressão, deixando um saldogrande de pessoas detidas, torturadas, processadas e presas. Depois de alguns meses de aparente “calmaria”, com a chegada da Copa do Mundo, reapareceram em várias cidades os distúrbios repudiando a este asqueroso evento, mesmo diante da exagerada presença dos corpos repressivos nas ruas, polícia de todas as cores, forças armadas, câmeras, drones, etc. A partir de então o número de pessoas presas em conseqüência de tais acontecimentos só tem crescido e vale ressaltar que na grande maioria das vezes são prisões baseadas em provas forjadas e em montagens descaradas.

Rafael Braga Vieira: Morador de rua, aprisionado no dia 20 de Junho de 2013, quando o Rio de Janeiro vivia a maior manifestação política de sua história, com 1 milhão de pessoas nas ruas e obviamente hordas de encapuzadxs atacando a ordem existente. Rafael foi aprisionado quando saia da loja abandonada onde vivia, no centro do Rio, com duas garrafas de plástico na mão, acusado de porte de bomba incendiária, numa absurda forjação de flagrante, foi condenado a cinco anos deprisão, atualmente se encontra com a possibilidade de sair em liberdadecondicional.

Caio e Fábio: Primeiramente nós da CNA gostaríamos de esclarecer que não apoiamos ou nos solidarizamos com aqueles que colaboram com a polícia de nenhuma forma; somos anarquistas, lutamos pela destruição das prisões e da polícia e não podemos aceitar o colaboracionismo com as forças do Estado. Porém esse caso é repleto de pontos ainda não esclarecidos, muitos afirmam que toda colaboração é fruto da mente canalha do advogado/miliciano Jonas Tadeu que já se retirou do caso, porém a polícia segue sua inquisição em segredo de justiça, o que nos impossibilita averiguar o grau de colaboração do Fábio e do Caio. Levantamos essa ressalva até que todos os fatos sejam conhecidos e esclarecidos por uma questão de coerência política, porém não acreditamos que nenhum ser vivo mereça o cárcere.

No dia 06 de fevereiro de 2014, o cinegrafista da Band Santiago Ilídio Andrade foi atingido por um rojão enquanto cobria uma manifestação no centro do Rio de Janeiro contra o aumento das passagens de ônibus. Santiago faleceu por conta do afundamento craniano. O jovem Fábio Raposo se entregou à polícia, após suas tatuagens serem mostradas nos vídeos do protesto, e segundo ele após receber diversas ligações sofrendo ameaças. Um advogado miliciano apareceu, ninguém sabe de onde para “defendê-lo”, o advogado inventa um enredo fictício dos mais esdrúxulos acerca de financiamento das manifestações com o intuito de criminalizar o movimento como um todo. Segundo esse advogado Fábio entregou Caio que já estava em fuga para o Nordeste, o advogado miliciano vai junto com a polícia e uma equipe da rede Globo realizar a prisão do jovem Caio, o advogado do denunciante se torna também advogado do denunciado, uma aberração jurídica impar. Esses são apenas alguns excertos do cenário surrealista em que se deram os fatos relativos a prisão desses dois jovens.Ambos continuam detidos e a justiça reiteradamente vem negando seu direito de liberdade para saciar a sede de sangue da mídia conservadora.

BULGÁRIA

Jock Palfreeman: É um antifascista da Austrália, com relações com Bristol (Inglaterra). Em dezembro de 2009 foi condenado a 20 anos pelo assassinato e tentativa de assassinato de dois torcedores de futebol fascistas búlgaros. Jock afirma que atuou em defesa própria contra um grupo de 15. Havia passado dois anos em prisão preventiva antes da sentença. Ao escrever não ponha símbolos anarquistas em toda a carta, o não a darão. Ele gosta dos bons livros críticos, em inglês é melhor. Jock apelou contra sua pena e se confirmou a sentença. Ainda lhe sobra um recurso ante um tribunal superior. Para escrever-lhe:

Jock Palfreeman
Sofia Central Prison,
21 General Stoletov Boulevard,
Sofia 1309(Bulgária)
Mais informação:
http://www.freejock.com

CANADÁ

Eva Botten: No dia 28 de março de 2013 Eva foi condenada a 10 meses, com 2 anos de liberdade condicional. Detida no outono de 2010, declarada culpada de 6 cargos de danos e de tentar encapuzar-se uma vez para causar danos em janeiro de 2012. O tribunal considera que causou um grande dano econômico a sedes empresariais, policiais e bancos durante os protestos contra o G-20 em 2010 em Toronto.

Eva Botten
C/O Vanier Centre for Women
655 Martin Street
Milton, Ontario L9T 5E6 (Canadá)

Kelly Pflug-Back (23 anos) : A companheira anti-autoritária é detida e acusada de participar do black bloc que protagonizou fortes distúrbios durante a cúpula do G-20 em Toronto, Canadá no dia 26 de junho de 2010. No dia 19 de julho de 2012 foi condenada a 15 meses de prisão seguido de 3 anos de liberdade vigiada, sendo essa uma das sentenças mais duras por distúrbios.

Vanier Prision de mujeres.
P.O.Box 1040
655 Martin Street
Milton, Ontario
L9T 5E6 Canada

Nicole Kish: é uma prisioneira anarquista e ativista pela abolição das prisões, cumprindo prisão perpétua por um assassinato que ela não cometeu. Nyki foi acusada e condenada pelo esfaqueamento de Rob Hammond, um executivo de marketing pornô na internet, sem quaisquer evidências físicas e mesmo após diversas testemunhas oculares confirmarem sua história. A polícia “perdeu” os vídeos de duas câmeras de vigilância que capturaram a briga. Agora Nyki se encontra na prisão de Ontário. E sua apelação foi negada.

A mãe de Nyki atualiza um site em apoio a ela http://www.freenyki.org.

CHILE

Presxs Políticxs Mapuches:

http://wichaninfoaldia.blogspot.com/ e http://paismapuche.org/

Presxs do Caso Security

Em 2007 cinco pessoas assaltaram uma filial do Banco Security em Santiago,levando 20 milhões de pesos chilenos. Na fuga houve um tiroteio com dois policiais, onde cai morto o verme cabo Luis Moyano Farías. Acusaram pessoas que participaram de distintos grupos armados que combateram durante o período do governo militar e posteriormente nos primeiros anos de democracia, como Mapu-lautaro e MIR.

Em 2 julho, data em que foram condenados, os companheiros se negaram a assistir ao show jurídico.

Juan Aliste Vega: Capturado no dia 9 de Julho de 2010, condenado em 2 de julho de 2014 a 18 anos pelo homicídio de Moyano, mais 10 anos de homicídio frustrado do policial Abarca, mais 14 anos por assalto ao Banco Santander em Valparaíso e Banco Security: 42 anos de prisão.

Freddy Fuentevilla: Condenado a 5 anos por encobrir o homicídio de Moyano, mais três por encobrir homicídio frustrado a Abarca + 7 anos pelo assalto ao Banco Security: 15 anos de prisão.

Marcelo Villaroel : Condenado a 14 anos de prisão pelo assalto ao Banco Santader em Valparaíso e o Banco Security.

Carlos Quiduleo: de origem mapuche, esteve vivendo na clandestinidade do ano de 2006 até novembro de 2013 quando foi capturado no sul do Chile. Transferido em março ao Módulo de Alta Segurança do CAS (Carcel de Alta Seguridad), onde também estão Freddy, Marcelo e Juan.

Rede de apoio: freddymarcelojuan@yahoo.com
Rede de apoio específica a Marcelo Villaroel:
mientrasexistamiseriahabrarebelion@hotmail.com

Esteban Huiniguir: Ex-membro do Mapu-Lautaro, é detido no 29 de março, Dia do Jovem Combatente, de 2008 após a polícia bater em sua casa e deter a outrxs habitantes da casa por porte de coquetéis molotov. Em um absurdo e evidente desejo de encará-lo é condenado a 3 anos e um dia por plantação de maconha mais 541 dias por microtráfico, ainda quando só o encontraram algumas plantas em ditacasa. Atualmente se encontra cumprindo a pena.

Unidad Especial de Alta Seguridad, Carcel de Alta Seguridad, Módulo J

Alberto Olivares Fuenzalida: Ex membro do FPMR (Frente Patriótico Manuel e prisioneiro político nos anos 90. Hoje se encontra detido por distintas expropriações. No cárcere participou em greves de fome e mobilizações como também escrevendo e mantendo a rebeldia na prisão, membro do Coletivo 22 de Janeiro. Atualmente se encontra cumprindo pena.

Ex-Penitenciaria, Cárcel Santiago Sur. Módulo A

Hans Niemeyer: É detido no dia 30 de Novembro de 2011 nas proximidades deum banco BCI, em Santiago, após um ataque explosivo. Permanece em prisãopreventiva sob a Lei Anti-Terrorista. Depois de um ano de sequestro consegue aprisão domiciliar. No dia 7 de dezembro foge desta e se declara em clandestinidadedevido a uma série de jogadas como a suspensão do julgamento e uma espécie deintercalação entre prisão e prisão domiciliar. No 26 de abril de 2013 é detidonovamente e em agosto de 2013 é condenado a 5 anos de sequestro.

Cárcel de Alta Seguridad,
3o H Norte
Santiago, Chile

Tamara Sol Farias Vergara: Sol é acusada de disparar contra um segurança doi Banco Estado, em vingança pela morte do companheiro anarquista Sebastián Overluij. A companheira é detida ao ingressar à 58a delegacia com o revólver do vigilante carregado. Sol é sobrinha dos irmãos Vergara, assassinados pela ditadura e neta de Luisa e Manuel, quem fizeram da memória de seus filhos uma arma de combate cada 29 de março, dia do jovem combatente. A companheira e sua família enfrentaram com firmeza e dignidade a caça desatada pela polícia e o processo judicial que se aproxima, atualmente se encontra em prisão preventiva, sob os delitos de “roubo qualificado” e “latrocínio”.

COLÔMBIA

Por motivos de segurança não se revelam os nomes dxs companheirxs presxs. Criaram a Cruz Negra Anarquista desde dentro, núcleo da CNA que funciona de dentro dos muros é que integrado por companheirxs que se fizeram anarquistas na prisão. Para mais informação assim como para escrever-lhes:

Presos Colombianos crean la Cruz Negra Anarquista Desde Adentro: Cuando la voluntad de lucha y resistencia se refrenda

DINAMARCA

Gottfrid Svartholm Warg: fundador do site The Pirate Bay está preso na Dinamarca por crime contra os Direitos Autrais, que apenas impedem a livre circulação de informação.

Gottfrid Svartholm Warg

c/o Jens H Jörgensen,

Politigarden

1567 Conpenhagem

DENMARK

EGITO

Desde o último contato que tivemos com os anarquistas egípcios, sabemos que estão em uma situação emergencial.  O regime militar fascista de Al Sisi / Mubarak está perseguindo mais agressivamente para prender todas as anarquistas e outras ativistas radicais de esquerda.
De acordo com o jornal fascista do governo, mais de 41.000 pessoas foram presas. Entre elas estão: “Alaa Abdel Alfatah”, blogueiro muito conhecido, e “Mahienour El-Massry“, uma grande ativista do direito das mulheres e trabalhadoras, que é também advogada progressista e luta contra a sociedade de classes. Estes grandes números de prisões ocorreram em menos de um ano! Foi entre julho de 2013 e maio de 2014.
O regime militar repressor continua a prender todas as anarquistas e quaisquer outras ativistas radicais de esquerda que estavam envolvidas na organização de qualquer espécie de manifestações ou ações contra o regime fascista/militar, que é apoiado pela CIA-Sionismo e outros poderes sanguinários do ocidente.

+ INFO (asranarshism.com)

ESTADO ESPANHOL

Gabriel Pombo da Silva: Anarquista Irredutível que passou mais de 25 anos sequestrados, mais da metade no infame regime FIES, protagonizando inúmeros atos de rebeldia e sempre buscando romper os muros com seus escritos. Em outubro de 2003 escapou de um centro de extermínio Ibérico. Foi detido depois de um tiroteio com a polícia alemã em um controle na cidade de Aachen , junto a sua irmã e ao também anarquista Jose Fernandez Delgado. Atualmente mesmo com a possível aproximação de sua soltura, o incluíram nos processos da Operação Ousadia, golpe repressivo que o Estado Italiano realizou contra várias individualidades anarquistas, acusando-o de ideólogo e estimulador dos ataques investigados. Desde janeiro de 2013 se encontra preso no estado espanhol.

Gabriel Pombo da Silva
Centro Penitenciario de A Lama
Monte racelo s/n 36830
A Lama (Pontevedra)

Os Quatro de Córdoba

A corte de apelação de Málaga sentenciou xs anarquistas Giovani Barcia, Michele Pontolillo e Cláudio Lavazza – já sentenciado a 11 anos em Setembro de 1999- por um incidente no vice-consulado italiano em Dezembro de 1996. Três pessoas vestindo balaclavas aprisionaram o cônsul e um funcionário, mandando uma mensagem de solidariedade aos prisoneirxs mandados ao cárcere pelo Juiz Marini ( o juiz que montou uma falsa acusação contra anarquistxs italianos) e desapareceram com passaportes e algo de dinheiro. Esses três italianos foram condenados por isso, e mais um assalto a banco com setenças de 49 anos para Claudio, 48 anos para Giorgio e Giovani e 3 anos para Michele.

Giovanni Barcia,

C.P.El Acebuche, Ctra. Cueva de los Úbeda, km 2,5, 04071.- El Acebuche, Almería, Espanha.

Claudio Lavazza: Anarquista Irredutível, protagonista dos “anos de chumbo” na Itália. Esteve na clandestinidade desde 1982 devido a repressão, até sua detenção em Córdoba (Espanha), no dia 18 de dezembro de 1996, após o falido assalto a um Banco Santander, no qual em defesa própria mata duas policiais. Desde então permanece seqüestrado, tendo passado vários anos nos módulos de isolamento FIES, onde participou de inúmeros protestos e atos de rebeldia.

Claudio Lavazza
C.p. Teixeiro modulo 11
Carretera de Paradela s/n
15310 Teixeiro-Curtis
A Coruña
España

Jose Maria Pirla Oliván: Leva 33 anos sequestrado pelo estado espanhol, acusado de uma execução em defesa própria durante uma expropriação. Parece que legalmente já tinha que estar na rua. É um anarquista irredutível.

José María Pirla Oliván
CP de Albolote.
Ctra. Comarcal 220, Km. 6
18220, Albolote (Granada)

José Carlos Vila Mateo: Lhe foi aplicado a doutrina Parot. Em resposta renunciou ao tratamento personalizado incluindo o médico e ao grau penitenciário. Participou nas mobilizações contra a prisão perpétua entre dezembro de 2008 e março de 2009. Anarquista irredutível.

José Carlos Vila Mateo (aislamiento)
C.P. Madrid VII Estremera
Ctra. M-241 Km.5.750
28595 Estremera (Madrid)

Juan Carlos Rico Rodríguez: Suas condições de reclusão são detestáveis, não podendo acessar ao ar livre sem uma dupla revista corporal. Inclusive neste presídio o compa é submetido ao isolamento; condição que perdura sobre ele já faz muito.

Juan Carlos Rico Rodríguez
CP Madrid VI
Ctra. Nacional 400 Km. 28
cp 28300 Aranjuez (Madrid)

5 de Sabadell

Presxs desde o dia 15 de maio de 2013, na cidade de Sabadell, em prisão preventiva no supostamente desaparecido regime FIES, pena ditada pelo juíz da audiência nacional Santiago Pedraz Gómez. Os delitos de que xs acusam são: Participação em grupo terrorista, Depósito de substância explosiva e munições, Apologia ao Terrorismo, Captação e Doutrinamento. As provas: perfis, comentários e criação de grupos no facebook, registro de uma casa onde encontraram uma caixa de ferramentas e gasolina.

Yolanda Fernandez Fernandez NIS 2013009039

C.P. de Avila

Ctra. De Vicolozano s/no 05194 (Avila)

Juan Jose Garrido Marcos NIS 2013009086

C.P. Madrid II Alcala de Henares

Ctra. Alcalá-Meco Km. 4`5 28805 Alcalá de Henares (Madrid)

Silvia Muñoz Layunta NIS 2013009039

C.P. Madrid VII Estremera

Ctra M-241 Km 5.750 28595 Estremera (Madrid)

José Carlos Recio Mínguez NIS 2000003209

C.P. Madrid VII Aranjuez

Ctra. N-400 Madrid-Toledo Km.28 28300 Aranjuez (Madrid)

Xabier Gonzalez Sola NIS 9226970300

C.P. Madrid IV Navalcarnero

Ctra. N-V Km.27`7 28600 Navalcarnero (Madrid)

P.D. No de cta. Solidaria 2038 9252 63 3000365109

http://freedomforthefive.wordpress.com

Daniel Ramírez Córdoba: Anarquista malaguenho, entrou na prisão em 1984 por pequenos roubos: 12 anos de prisão que já vão por 28, pois acumulou novas penas por tentativas de fuga, duas fugas consumadas, destruição de mobília do presídio (detector de metais, janelas, grades…), uma dúzia de agressões a funcionários como resposta a agressões e maus-tratos, e por sua participação em revoltas e protestos. Em fevereiro de 2014 manteve por várias semanas uma greve de fome denunciando sua situação e reivindicando uma solução a seu encarceramento assim como o apoio e solidariedade as pessoas de afora e a difusã do seu caso

Daniel Ramírez Córdoba
C.P Madrid VI (Aranjuez)
NIS: 8218800082

Honorio Gómez Alfaro. Pope: Esteve 18 anos preso em distintos presídios de adultos, tendo suas primeiras experiências com a prisão desde os 12 anos em reformatórios. Participou das revoltas estudantis de 84 e em diversas okupações.

Foi condenado a 23 anos por delitos de atentados contra a autoridade e contra a saúde pública. Fugiu colaborando com o Centro Social Okupado “La Alarma” até o momento de seu desalojo. Se implicou na luta contra o centro de menores “La Jarosa”, e foi necessário pedir-lhe que não acudisse às ações mais perigosas pelo risco que corria sua liberdade. Estando ele foragido, ofereceu sua casa para aquelxs garotxs que também foragidxs, necessitavam um refúgio. Pope foi descoberto durante um controle rotineiro da Polícia Nacional.

Honorio Gómez Alfaro
C.P. Sevilla (Morón de la Frontera)
Paraje las Mezquitillas- Crtra. Morón de la Frontera- La puebla de Cazalla
SE-451, KM. 5,500
C.P. 41530- Morón de la Frontera (Sevilla).

Jose Antonio López Cabrera: Preso em luta e solidário com a campanha CÁRCERE=TORTURA. Passou 80 dias em greve de fome contra as torturas a dois companheiros em Lledoners.

Jose Antonio López Cabrera
CP Brians II Ctra. de Martorell a Capellades km 23 cp 08635 St. Esteve Sesrovires
(Barcelona)

José Ortíz García : Preso que sofreu FIES, com umas interessantes análises críticas.

José Ortíz García
CP Brians II Ctra. de Martorell a Capellades km 23 cp 08635 St. Esteve Sesrovires
(Barcelona)

Juan Karlos Santana Martín:Pendente de julgamento: o espancaram e denunciou, foi arquivado. Os carcereiros que o agrediram também o denunciaram eirá a julgamento. Tem as comunicações proibidas, pede que o deixem ver seus/suas amigxs mediante as comunicações e que o transladem de prisão (tem a família em Bilbao). Por isso fez greve de fome, a deixou por problemas de saúde. Segue na campanha CÁRCERE=TORTURA.

Juan Karlos Santana Martín
Centre Penitenciari Ponent
Carrer Victória Kent, s/no
25071 Lleida

Monica Caballero e Francisco Solar:

Companheirxs originárixs do território controlado pelo estado chileno, ambxs estiveram presxs durante o golpe repressivo que ficou conhecido como “Caso Bombas”, foram detidxs em Barcelona, no dia 13/11/2013 justo a 3 compas mais pela Brigada Anti-Terrorista, acusadxs de estarem envolvidxs em ações incendiária reivindicadas pelo “Comando Mateo Morral”. Atualmento xs companheirxs se encontram presxs no infame regime FIES, para escrevê-lxs:

Mónica Andrea Caballero Sepúlveda,
Ávila-Prisión Provincial,
Ctra. de Vicolozano s/nvApdo.
206, 05194 Brieva (Ávila), Spain.

Francisco Javier Solar Domínguez,
Centro Penitenciario de Villabona
Finca Tabladiello,
33480 Villabona-Llanera (Asturias), Spain.

Noelia Cotelio Riveiro:

Noelia leva 5 anos em prisão, foi condenada primeiro por dois anos e quatro meses por ter roubado um carro mas sua rebeldia frente às humilhações e os maus tratos dos carcereiros alargou a sua pena. Esteve presa no regime FIES. Um pouco como Xosé Tarrio, ela afirma que “se formou” na prisão onde se tornou anarquista.

Noelia Cotelo Riveiro
CP Brieva. Ávila
Ctra de Vicolozano
05194

ESTADOS UNIDOS

Bill Dune: é um anti-autoritário condenado a 80 anos por tentar libertar a um preso anarquista em 1979. Em 1983 tentou fugir e foi condenado a 15 anos mais. Ajudou a outrxs presxs com sua educação, participando da revista 4strugglemag, ajuda em Running Down the Walls (Corrida contra os Muros). Forma parte do Comitê de Presxs da Federação da Cruz Negra Anarquista.

Bill Dunne #10916-086
Usp pollock
U.S. penitentiary
P.O. Box 2099
// Pollock, LA 71467 (USA)

David Gilbert: Passou 10 anos na clandestinidade, resistindo ativamente ao imperialismo com as armas como parte do grupo Weather Underground. No dia 20 de outubro de 1981, ele e outrxs companheirxs foram capturadxs em Nyack, Nova York, durante uma tentativa de expropriação do Exército Negro de Libertação e as Forças Armadas de Tarefas Revolucionárias. Três Lacaios foram mortos e foi condenado a prisão perpétua.

www.kersplebedeb.com/mystuff/profiles/gilbert.html
David Gilbert #83-A-6158
Auburn Correctional Facility
PO box 618
Auburn NY 13021 (USA)

William “lefty” Gilday: Cumpre prisão perpétua por sua participação em uma expropriação a um banco que acabou com a morte de um policial, para financiar o movimento anti-guerra no Vietnam. Também esteve na Weather Underground.

William Gilday. W33537
MCI Shirley
P.O. Box 1218
Shirley, MA 01464-1218 (USA)

Michael Sykes: É um anarquista de 19 anos de idade. Quando era menor de idade foi declarado culpado de botar fogo em duas casas em construção, de tratar de derrubar um poste de eletricidade e da queima de outras casas. Sua luta foi interferir na expansão urbanística por que estava cansado de ver que todo o bosque é destruído.

Michael Sykes 696693,
Michigan Reformatory,
1342 West Main,
Ionia, Ml 48846 (USA)

Marie Jeanette Mason: As acusações a esta vegana são parte da “Green Scare”(ameaça verde), uma tendência do governo de etiquetar a ação direta pelo meio-ambiente como “eco-terrorismo” apesar de que estes atos não prejudicam nenhuma vida, não têm efeitos colaterais. Marie enfrentava a uma pena de prisão perpétua. Ela decidiu declarar-se culpada e agora cumpre quase 22 anos de prisão.

Mais informações: http://supportmariemason.org/
Marie Jeanette Mason #04672-061
FMC Carswell
Federal Medical Center
P.O. Box 27137
Fort Worth, TX 76127

Grant Barnes: Vegano condenado a 12 anos por incêndios relacionados com a libertação da Terra.

Grant Barnes #137563
Arrowhead Correctional Facility
P.O. Box 300
Cañon City, CO, 81215-3000 (USA)

Steve James Murphy: Foi acusado de uma ação da Frente de Libertação da Terra em Pasadena, Califórnia, condenado a 5 anos no dia 5 de abril de 2010, após ter se declarado culpado previamente. Expropriou um trator e colocou um artefato incendiário em um lugar de construção de casas em nome da Frente de Libertação da Terra.

Para mais informações: http://supportsteve.org/
Steve James Murphy 39013-177
Fci beaumont médium
Federal correctional institution
p.o.box 26040
Beaumont TX 77720 (USA)

Jean Karl Laaman: ativista pela comunidade e anti-imperialista, que passou a clandestinidade (duas vezes). Detido em 1984 e condenado a 98 anos por ações de luta armada com a Frente Unida da Liberdade. Jaan também é editor de 4StruggleMag.

Jean Karl Laaman,

#10372-016, USP Tucson,

P.O. Box 24550, Tucson,

Az 85734 (USA)

Eric McDavid: Vegano, condenado a 20 anos por “delito de opinião”. Foi detido em janeiro de 2006 (dentro da campanha governamental “Green Scare”-ameaça verde- contra xs ativistas pelos direitos ambientais e dos animais) depois de ter sido delatado por um informante encoberto que fez um crime e meteu o companheiro. Eric foi objetivo do Estado por suas convicções e seu caso é importante pra todo mundo que se rebela:

www.supporteric.org

Eric McDavid 16209-097.

FCI terminal island. Federal correctional institution.

Po box 3007 San Pedro,

CA 90731 (USA)

Daniel McGowan: Vegano condenado a 7 anos desde 2007 por um incêndio da Frente de Libertação da Terra contra uma empresa madeireira e outro contra uma empresa de registro de sociedades.

Mais info: http://www.supportdaniel.org/

Daniel McGowan

63794-053, FCI Terre Haute

CMU, P.O. Box 33, Terre Haute

IN 47808, (USA)

Fran Thompson : Vegana condenada a prisão perpétua. Antes de seu ingresso, lutava pelos animais e pelo meio ambiente. Um homem a perseguiu, ameaçou de morte e entrou em sua casa… Fran disparou e o matou. O promotor soube de sua luta, e a usou como desculpa para tirar do meio uma ativista.

Fran Thompson # 1090915,

WERDCC, 1101 E. Hwy. 54,

Vandalia, MO 63382 (USA)

Thomas Manning: É um revolucionário anti-imperialista da Frente Unida pela Liberdade, organização clandestina que bombardeou edifícios capitalistas, tribunais e instalações militares e também expropriou bancos para financiar projetos revolucionários. Foi condenado a 80 anos de prisão por matar a um policial de Nova Jersey em defesa própria.

Thomas Manning #10373-016

Fmc Butner

Federal Medical Center

P.O. BOX 1600

BUTNER, NC 27509 (USA)

Byron Shane “Urso Branco”: É um ativista dos direitos indígenas condenado a 80 anos por roubo bancário, assalto agravado ao FBI, fuga e posse de armas de fogo. Um informante confidencial informou de que Urso estava roubando bancos com o fim de arrecadar fundos para apoiar a rebelião zapatista em Chiapas, México, ao longo de 1998-99

Byron Shane “Oso Blanco”

Chubbuck #07909-051

Usp Lewisburg

U.S. Penitentiary

P.O.BOX 1000

LEWISBURG, PA, 17837 (USA)

Alvaro Luna Hernandez: Preso chicano-mexicano condenado a 50 anos de cárcere por assalto com agravante a um oficial quando desarmou a um sheriff que tentava matá-lo.

Alvaro Luna Hernandez #255735

Hughes Unit

Rt. 2 , Box 4400

Gatesville, TX 76597 (USA)

Luis V. Rodriguez: Ativista chicano/apache acusado de matar a dois policiais.

Luis V. Rodriguez # C- 33000

P.O. Box 409000

IONE, CA 95640 (USA)

Patreese Johnson: Lésbica afro-americana condenada a 11 anos por se auto-defender de um homofóbico quando tinha 19 anos.

Patreese Johnson 07-G-0635

Taconic Correctional Facility

250 Harris Road

Bedford Hills, New York 10507 (USA)

Presxs do MOVE

Um grupo de eco-revolucionárixs que realizaram protestos em defesa de toda a vida. Neste momento há oito ativistas do MOVE na prisão com penas de 100 anos cada uma, acusadxs do assassinato de um policial de 1979. A nona acusada Merle África , morreu na prisão.

Debbie Sims Africa #006307,

Janet Holloway Africa #006308

Janine Phillips Africa #006309

SCI- Cambridge Springs,

451 Fullerton Ave,

Cambridge Springs, PA 16403-1238 (USA)

Michael Davis Africa #AM4973

Charles Simms Africa #AM4975

SCI Grateford, P.O. Box 244,

Grateford, PA 19426-0244 (USA)

Edward Goodman Africa # AM4974

SCI Mahanoy, 301 Morea Rd, Frackville,

PA 17932 (USA)

Willian Philips Africa #AM4984

Delbert Orr Africa #AM4985

SCI Dallas Drawer K, Dallas,

PA 18612 (USA)

Mumia Abu Jamal: Em 1981, Mumia, ex Pantera Negra e simpatizante de MOVE, foi acusado do assassinato de um policial. Está há 30 anos na prisão, foi condenado a morte, teve sua pena comutada e agora luta por sua libertação.

Mumia Abu-Jamal #AM 8335

SCI Mahanoy

301 Morea Road

Frackville, PA 17932 (USA)

Leonard Peltier: Ativista do Movimento Indígena Americano, acusado do assassinato de dois agentes do FBI em 1975. Sofre duas prisões perpétuas. Está gravemente doente.

Seu grupo de apoio: http://www.whoisleonardpeltier.info/

Leonard Peltier # 89637-132

USP Lewisburg, P.O. Box 1000, Lewisburg,

Pennsylvania 17837 (USA)

Lynne Steawart: Advogada radical dos direitos humanos, foi detida em 2002 acusada de ajudar a terroristas e de perjúrio. Foi condenada em 2006 a 28 meses, apelou e saiu em liberdade sob fiança. Em 2010 sua pena foi aumentada a 10 anosnuma clara tentativa do governo dos EUA para calar a dissidência, reduzir advogadas lutadoras e instalar o medo em quem luta contra o racismo. Lynne é uma sobrevivente do câncer de 73 anos de idade que necessita apoio:

http://lynnestewart.org/

Lynne Stewart 53504-054,

Federal Medical Center Carswell,

Unit 2N, PO Box 27137,

Fort worth, Texas 76127 (USA)

Helen Woodson: Condenada a 8 anos e 10 meses por ações como virar uma lata de pintura vermelha sobre o escritório de segurança de um tribunal federal e realizar comunicados ameaçadores. Antes de sua prisão já havia estado 20 anos presa por: 1) Utilizar um martelo para desarmar um silo de mísseis nucleares. 2) Queimar 25,000 dólares no piso de um banco, após roubá-lo, enquanto denunciava a guerra, a destruição ambiental e a injustiça econômica. 3) Enviar cartas de advertência com balas ao governo e funcionários corporativos.

Helen Woodson 03231-045,

FMC Carswell- Admin. Max. Unit,

POB 27137, Ft. Worth, TX 76127 (USA)

Veronza Bowers Jr.: Foi declarado culpado de assassinato de um guarda florestal pela declaração de dois informantes do governo, que colaboraram em troca de que xs diminuíssem as penas por outros delitos. Não existem testemunhas oculares nem provas a parte dos testemunhos que o vinculam com o crime.

 

Veronza Bowers Jr, #35316-136,

USP Atlanta P.O. Box 150160,

Atlanta, GA, 30315 (USA)

Zolo Agonia Azania: É um ex Pantera Negra condenado por um assalto a um banco de 1981 que deixou um policial morto em Indiana. Foi detido a milhas de distância dos fatos enquanto caminhava, desarmado, pela rua. A promotoria intimidou às testemunhas, ocultaram provas, apresentaram testemunhas falsas e testemunhos de especialistas e o negaram o direito de falar por si mesmx.

Zolo Agonia Azania, #4969

Pendelton Correctional Facility,

PO Box 30, I.D.O.C. 6-6 D Pendelton,

Indiana 46064 (USA)

Romaine “Chip” Fitzgerald: Em setembro de 1969, Chip foi ferido e preso, relacionado com um tiroteio com a polícia. Foi julgado por assalto a polícia e outras causas relacionadas, incluindo o assassinato de um segurança. Foi declarado culpado e condenado a morte. Tinha 19 anos de idade.Ver

http://freechip.org/

Romaine Fitzgerald –B-27527

Kern Vallery State Prison

P.O. Box 5101, A-1-105 Delano,

California 93216 (USA)

Eric Wildcat Hall: Condenado a mais de 3 décadas, acusado de colaborar com ativistas indígenas da América central.

Eric Wildcat Hall #BL-5355,

Unit 1/A, 10745 Route 18, Albion,

PA 16475-0002 (USA)

Brian McCarvill: Está cumprindo uma sentença absurda de 30 anos relacionada com uma batalha de custódia e uma violenta disputa com o Departamento de Serviços da Criança. É um ativista pelos direitos das pessoas presas.

Brian McCarvill #11037967,

Snake River Correctional Institution (SRCI)

777 Stanton Blvd, Ontario,

OR 97914, USA.

Jerome White-Bey: É um preso anarquista norteamericano, fundador e presidente do Missouri Prisioners Labour Union (MPLU), sindicato autônomo e autogestionado de presos que conta com mais de 1000 afiliados neste estado.

Jerome White-Bey #37479,

Western Missouri Correctional Center (WMCC)

609 East Pence Road, Cameron,

MO 64429, USA

Albert Woodfox e Herman Wallace: Foram encarcerados por roubos relacionados. Fundaram Panteras Negras na prisão de Angola, e campanhas para deter os estupros nas cadeias e melhoras as condições nas plantações escravistas. Seu ativismo os fez alvo da direção “branca” da penitenciária e em 1972, os carcereiros inventaram causas contra eles pelo assassinato de um carcereiro, pagando declarações de caguetes. Foram sentenciados a prisão perpétua.

Albert Woodfox #72148,

CCR Lower B Cell #3, Louisiania State Penitentiary,

Angola, LA 70712 (USA)

Herman Wallace #76759,

Elaine Hunt Correctional Center, Unit 5, E-Tier,

PO Box 174, St Gabriel, LA 70776 (USA)

Chelsea (antes conhecida com Bradley) Manning: Ex-soldado e dissidente de Guerra, acusada por formar parte de wikileaks, site que denunciou a hipocrisia e as mentiras do governo dos EUA em muitas áreas.

Mais info http://www.bradleymanning.org/

Bradley Manning Commander, HHC USAG

Attn PFC Manning

239 Sheridan Ave, Bdlg 417

JBM-HH, VA 22211 (USA)

Ted Kaczynski: Conhecido como Unabomber, é autor desde o final dos 70 até 96, ano em que foi preso, de ataques com bombas a diferentes entes e individualidades conectadas com a ditadura tecnológica. Atuou de forma individual.

Ted Kaczinsky #04475-046

US Pen-Admin Max Facility.

PO Box 8500 Florence, CO 81226 (USA)

Larry Gidding: Anarquista. Em 1971, foi ferido durante uma expropriação a uma loja de armas. Sofreu 7 anos de prisão. Em 1979, Larry foi ferido e capturado novamente e condenado a duas prisões perpétuas consecutivas.

Larry Gidding # 10917-086,

P.O. Box 1000, Lewisburg,

P.A. 17837 (USA)

Miguel Balderos: Condenado a 10 anos e 8 meses por queimar o escritório da promotoria de Santa Cruz, California. Ao ser detido, disse que era anarquista, sem casa e que protestava pela proibição de acampar na cidade.

Miguel Balderos F81930

CSP Solano

PO Box 4000 14G5UP

Vacaville CA 95696 (USA)

Andrew Mickel: Nascido no dia 13 de março de 1979, no 19 de novembro de 2002, às 1:27 da manhã, Mickel disparou e matou ao policial David Mobilio. Está condenado a morte, pode ser executado em qualquer momento.

Andrew Mickel V77400

San Quentin State Prison

San Quentin CA 94974 (USA)

Justin Solondz: Esteve preso na China mais de três anos após ter causas por incêndio premeditado e conspiração relacionados com ações nos EUA da Frente de Libertação Animal e Frente de Libertação da Terra. Em julho de 2011, Justin foi extraditado. Em 2012 foi condenado a sete anos de prisão.

Justin Solondz #98291-011

FDC SEATAC

PO Box 13900

Seattle, WA 98198 (USA)

Camille Marino: O vivessector Donal O`Leary pagou para que fosse encarcerada 31 dias em Fevereiro de 2012 e extraditada da Florida ao Michigan, por cinco causas de “rebeldia criminosa”: se negou a tirar de seu site (http://negotionisover.net ) informação pessoal de O`Leary. Após um ato de desobediência civil em maio de 2012, O`Leary conseguiu que a condenassem a cinco anos.

Camille Marino

#2012016853,

570 Clinton Street, Detroid MI 48226, USA.

Tem muitxs presxs nos Estados Unidos cuja situação não foi difundida aqui por falta de tempo, mas pode se dar uma olhada nas paginas das CNA respectivas

FRANÇA

Gilbert Ghislain: Foi condenado a 4 anos por fugir de helicóptero de uma prisão francesa em 1990, mais 18 anos de penas que já tem por assaltos nos anos 80.

Mais informação: http://gilbertalacalle.blogspot.com.es/ gilbertarue@yahoo.com

Conta de apoio: Importante por “Gilbert” no assunto do ingresso.

2100 5875 87 0200043581- La Caixa (Espanha)

20041 01016 1302461k037 06- La Banque Postale (França)

 

Damien Camelio: Companheiro anarquista, detido em fevereiro de 2014 em Tarbes, França, junto a um companheiro mais, acusado de formar parte dos GADI (Grupos de Ação Direta Internacional), grupos que realizaram uma série de incêndios, entre os quais um à Brigada Paraquedista do exército francês e a uma prisão. O compa está sendo constantemente exposto a situações de humilhações e torturas, como a violação de sua correspondência, apreensão de livros que lhe são enviados além da privação de seu sono durante dias seguidos, sendo acordado constantemente por lanternas e ruídos.

Maison d’Arrêt de PAU

Damien CAMELIO – Ecrou 2562214 Bis Rue VIARD BP 1616

64 037 PAU CEDEX

France

GRÉCIA

As/aos presxs se pode escrever diretamente, ou em caso de apoio econômico, perguntas ou dúvidas em geral, contatar a Caixa de Solidariedade:

tameio@espiv.net.

Polikarpos e Vagelis: Foram detidos no final de agosto de 2008 em Tessalônica sob a acusação de seqüestro do grande diretor industrial Mylonas. Ambos negaram sua participação, mas se declararam solidários e admitiram ser amigos de Vassilis Paleokostas (Outro acusado pelo mesmo caso e também o assaltante mais famoso e “homem mais buscado” da Grécia). Em fevereiro de 2010 foram condenados a 22 anos e três meses cada um. O tribunal se celebrou 24 de abril de 2012, reduzindo as penas a 12 anos e 10 meses pra cada um.

Polikarpos Georgiadis

Kleisti Filaki Kerkiras

T.K. 49100 Kerkira (Grécia)

Evaggelos Hrisohoidis

Dikastiki Filaki Komotinis

T.K. 69100 Komotini (Grécia)

Stefanos Amilitos: O companheiro caiu preso na noite de 19 de Abril por jogar molotovs contra os anti-distúrbios em Exarchia (ataque que foi realizado por 30 pessoas mais ou menos). Está esperando julgamento.

Dikastiki Filaki Koridallou-A pteryga

T.K. 18110 Cárcel de Koridallos

Atenas. Grecia

Rami Sirianos: Rami foi detido em 31 de janeiro de 2011 em Tesalônica depois do assalto ao abastecimento de veículos confiscados pela polícia de tráfego e fronteira. Assumiu a responsabilidade por esta ação. O julgamento se realizou em 28 de Maio de 2010 e a condenação que lhe caiu foi de 8 anos e 8 meses.

Rami Sirianos

Filakes Domokou

D2 PterygaT.K. 35010 Domokos

Fthiotida (Grecia)

Anastasios “Tasos” Theofilou:Tasos caiu preso em 2012 em Atenas, acusado de um assalto a banco na ilha de Paros onde morreu um taxista que quis dar uma de herói politicamente correto e tentou impedir a fuga dos assaltantes, também o acusam de pertecer a CCF, algo que nega. No dia 7 de fevereiro 2014, Tasos foi condenado a 38 anos de prisão.Foi solto das acusações graves de “formação e pertencimento a uma organização terrorista” (sua suposta participação na CCF), posse de explosivos e munição, fasificação de 5 carteiras de identidade, uso de arma de fogo e duas tentativas de homicídio. Porém, foi condenado a 38 anos de prisão (16 por participação em homicídio, 15 por furto, 3 por falsificação, 2 por porte de arma de fogo – mais 5000 euros de fiança – e 2 anos por aceitar objetos roubados). Terá que cumprir 25 anos de prisão.

Anastasios “Tasos” Theofilou

Filakes Domokou

D2 Pteryga

T.K. 35010 Domokos

Fhtiotida ( Grecia)

Vagelis Koutsibelas: Entre o 13 de Março e o 3 de Abril de 2012 se levou a cabo na cidade de Trikala uma série de ataques incendiários contra a comissária de Guarda Urbana, a delegacia de Polícia e o carro de um parlamentar local. No dia 6 de abril, Vagelis, de 42 anos, é detido em flagrante, tentando queimar o carro do diretor da Escola de Sub-oficiais Profissionais. Baseando-se na declaração de um caguete, lhe acusam os outros 4 ataques. No julgamento realizado os dias 6 e 7 de março em Larissa, o companheiro foi declarado culpado e condenado a 15 anos de reclusão(4 anos por cada incêndio)

Vagelis Koutsibelas

Kleisti Filakon Trikalon

T.K. 42100 Trikala (Grecia)

MEMBROS DA CONSPIRAÇÃO DAS CÉLULAS DE FOGO (CCF)

Para facilitar a comunicação com xs presxs da CCF se criou uma caixa postal assim como também um endereço de e-mail:

sinomosiapf@riseup.net

Caixa Postal:

Post Box 51076

TK 14510 Nea Kifissia

Athens (Grecia)

A continuação breves resenhas da história e situação de cada membro:

Haris Hatzimihelakis: Haris foi detido no dia 23 de setembro de 2009 sob acusação de pertencer a CCF. Em novembro de 2010, depois da prisão de Panagiotis Argyrou e Gerasimos Tsakalos pelo envio de pacotes incendiários, assumiu sua participação no grupo. Foi julgado no chamado “Caso Halandri” (em concreto 3 ataques da CCF) e condenado a 37 anos (25 por cumprir).

Kleisti Filaki Trikalon

T.K.42100 Cárcel de Trikala

Grecia

Panagiotis Argyrou: Estava sendo procurado desde outubro de 2009, acusado de ser membro da CCF, foi detido no dia 1o de novembro de 2010 junto a Gerasimos Tsakalos pelo envio de pacotes incendiários. Depois da prisão assumiu sua participação no grupo. Foi julgado no chamado “Caso Halandri” (em concreto 3 ataques da CCF) e condenado a 37 anos (25 por cumprir)

Kleisti Filaki Trikalon

T.K.42100 Cárcel de Trikala

Grecia

Gerasimos Tsakalos: Foi detido no dia 1o de novembro de 2010 junto a Panagiotis Argyrou por enviar pacotes incendiários. Depois da prisão assumiu sua participação na CCF.

Dikastiki Filaki Koridallou-A pteryga

T.K. 18110 Cárcel de Koridallos

Atenas. Grecia

Mihalis Nikolopoulos: Estava sendo procurado desde setembro de 2009 acusado de ser membro da CCF e foi detido no dia 26 de janeiro de 2011. Depois da prisão assumiu sua participação na CCF. No dia 2 de outubro de 2012 ao ser concluído o segundo julgamento do “Caso Halandri” foi condenado a 34 anos, dos quais terá que cumprir 25.

Kleisti Filaki Trikalon

T.K.42100 Cárcel de Trikala

Grecia

Giorgos Nikolopoulos: Estava sendo procurado desde setembro de 2009 acusado de ser membro da CCF e foi detido no dia 14 de março de 2011 em Volos, junto a outrxs 4 companheirxs. Depois da prisão assumiu sua participação na CCF. No dia 2 de outubro de 2012, ao concluir o segundo julgamento do “Caso Halandri” foi condenado a 34 anos, dos quais deverá cumprir 25.

Dikastiki Filaki Komotinis

T.K. 69100 Cárcel de Komotini

Grecia

Christos Tsakalos: Estava sendo procurado desde meados de novembro de 2010 (o mandado de prisão foi emitido pouco depois da prisão de seu irmão Gerasimos) e foi detido junto com outros 4 companheirxs no dia 14 de março de 2011 em Volos. Depois da prisão assumiu sua participação na CCF. No dia 2 de outubro de 2012 ao concluir o segundo julgamento do “Caso Halandri”, foi condenado a 7 anos.

Geniko Katastima Kratisis Grevenon

T.K.51100 Cárcel de Grevena Grecia

Damianos Bolano: Estava sendo procurado desde setembro de 2009 acusado de ser membro da CCF e foi detido no dia 14 de março de 2011 em Volos, junto com outrxs 4 companheirxs. Depois da prisão assumiu sua participação na CCF. No dia 2 de outubro de 2012, ao concluir o segundo julgamento do “Caso Halandri” foi condenado a 34 anos dos quais tinha que cumprir 25 anos.

Kleisti Filaki Trikalon

T.K.42100 Cárcel de Trikala

Grecia

Giorgos Polydoros: Giorgos foi detido junto a outrxs 4 companheirxs no dia 14 de março de 2011 em Volos. Depois da prisão assumiu sua participação na CCF.

Kleistes Filakes Alikarnassou

T.K.71601 Cárcel de Alikarnassos

Heraclion, Creta Grecia

Theofilos Mavropoulos: Fois detido no dia 18 de maio de 2011 na zona Pefki (Atenas), gravemente ferido depois de um enfrentamento armado com dois policiais da brigada móvel. O companheiro que o acompanhava conseguiu fugir. Tem causas por duas tentativas de homicídio.No dia 5 de abril de 2013, primeiro dia de recém iniciado o julgamento pelas “obras completas” da CCF, decidiu assumir sua responsabilidade como parte do grupo, mesmo que no momento de sua detenção ele não guardava uma relação com a CCF. Seu contato com companheirxs da CCF na prisão e suas afinidades com elxs o levaram a tomar essa decisão assumindo as conseqüências.

Dikastiki Filaki Koridallou-A pteryga

T.K. 18110 Cárcel de Koridallos

Atenas. Grecia

Também no módulo A de Korydallos (A Pteryga) se encontram também outrxs anarquistas (o endereço é o mesmo)

Olga Ikonomidou: Olga foi detida junto a outrxs 4 companheirxs no dia 14 de março de 2011 em Volos. Depois da prisão assumiu sua participação na CCF. Seu endereço é diferente, já que se encontra na seção feminina do mesmo recinto carcerário.

Olga Ikonomidou

Kleisti Kentriki Filaki Ginaikon Koridallou- B Pteryga

T.K.18110 Koridallos, Athens (Grecia)

Spiros Mandilas y Andreas Tsaydaridis.Os dois companheiros foram detidos em 11 de Julho de 2013 em Tesalónica e estão acusados, entre outras, de enviar pacotes-bomba ao oficial de Polícia D.Horianopoulos que era o chefe da Unidade Antiterrorista ( ação firmada pela FAI-FRI/Comando Mauricio Morales).Andreas assume a sua responsabilidade pelo envio do pacote-bomba ao chefe da unidade anti-terrorista e a sua participação na CCF. Spiros nega sua participação na CCF, mas reivindica o seu apoio e solidariedade axs compas da CCF e se nega a receber apoio de advogados e testemunhas

Dikastiki Filaki Koridallou-A pteryga

T.K. 18110 Cárcel de Koridallos

Atenas. Grecia

Outros presxs condenadxs pelo “caso Halandri”:

Takis foi detido em 23 de setembro de 2009 e solto em liberdade condicional em 23 de março de 2011(visto que passou 18 meses dentro, o máximo que alguém tem que cumprir sem ser condenadx). Nega pertencer a CCF. Foi julgado no chamado “caso Halandri”(em concreto, 3 ataques da CCF) e condenado a 11 anos e 6 meses. Em 19 de julho de 2011 entrou de novo no cárcere.

Panagiotis Masouras

Geniko Katastima Kratisis Grevenon

T.K.51100 Grevena

Nina estava em busca e captura desde 25 de semtebro de 2009, acusada de pertencer a CCF. Foi detida em 22 de abril de 2010. Nega seu pertencimento. Foi julgado no “caso Halandri” e condenada a 11 anos.

Konstantina Karakatsani

Katastima Kratisis Ginaikon Eleonas Thivon

T.K. 32200 Thiva

Grecia.

Giorgos Karagiannidis:Estava sendo procurado desde setembro de 2009 acusado de ser parte da CCF, foi detido no dia 4 de dezembro de 2010 em uma operação antiterrorista que gerou o chamado “Caso Nea Smyrni” (posto que nesse município de Atenas foram presos Alexandros Mitrousias e Kosta Sakkas em posse de várias armas e saindo de uma garagem onde também se encontraram armas e explosivos). Nega sua participação na CCF, entretanto foi julgado junto a elxs no chamado “Caso Halandri” e condenado a 11 anos. Atualmente está sendo julgado em dois julgamentos contra a CCF.

Dikastiki Filaki Koridallou-A pteryga

T.K. 18110 Cárcel de Koridallos

Atenas. Grecia

Alexandros Mitrousias: Está sendo procurado desde setembro de 2009 acusado de ser parte da CCF, foi detido em 4 de dezembro de 2010 em uma operação antiterrorista que gerou o chamado “Caso de Nea Smyrni” ( neste município de Atenas foi preso junto a Kostas Sakkas em possessão de várias armas e saindo de uma garagem onde também se encontraram armas e explosivos). Nega sua participação na CCF. Porém, foi julgado junto a elxs no chamado “Caso Halandri” e condenado a 11 anos. Atualmente julgado em 2 processos contra a CCF.

Dikastiki Filaki Koridallou-A pteryga

T.K. 18110 Cárcel de Koridallos

Atenas. Grecia

Tsilianidis Haralambos: “Babis” Tsilianidis junto com 3 companheiros mais (Dimitris Dimitsiadis, Sokratis Tsifkas e Dimitris Fessas), ao estarem acusadxs pela mesma ação ( queima de veículos da Cia. elétrica DEI) em que caiu detido Giannis Skouloudis em 13 de outubro de 2010, tomaram a decisão de fugir da lei. Depois de passar 3 meses em clandestinidade, em 13 de janeiro de 2011 resultaram presos em um piso do município ateniense de Vyronas, em possessão de várias armas. Entre 22 e 26 de Março se realizou o julgamento contra os 5 por queimar carros da DEI. As condenações foram as seguintes: G. Skouloudis – 5 anos e 5 meses ( em 23 de Junho de 2012, depois de haver cumprido 2/5 de sua pena, o compa foi liberado), D. Dimitsiadis e H. Tsilianidis – 2 anos e 10 meses, S. Tsifkas e D. Fessas – 2 anos e 5 meses.

Dikastiki Filaki Koridallou-A pteryga

T.K. 18110 Cárcel de Koridallos

Atenas. Grecia

Dimitris-Andreas Bourzoukos, Giannis Mihalidis, Dimitris Politis y Nikos Romanos : No dia 5 de Dezembro de 2012 terminou o julgamentos contra os « 4 de Vyronas » pelas acusações relacionadas com sua detenção. Todos foram condenados a 4 anos de prisão por “conspiração e “porte ilegal de armas de fogo”. Além disso, receberam uma multa de 3000€ cada por porte de arma. Enquanto que 3 delxs foram liberados, Babis Tsilianidis continua preso porque em 16 de Novembro de 2011 foi citado pelos fiscais que o acusaram de ter assaltado o departamento financeiro do Hospital AHEPA em Tesalónica ( algo que ocorreu em Julho de 2010). O julgamento por esse assalto aconteceu na manhã de 22 de Janeiro de 2013 e se declarou culpado de todas acusações. A sentença total que lhe foi ditada foi de 10 anos e 4 meses, sem liberdade condicional, pena que está cumprindo atualmente.Todos esses companheirxs caíram presos em 1 de Fevereiro de 2013 depois de realizars dois assaltos a bancos na localidade de Velventos ( perto da cidade de Kozani). Giannis Mihailidis e Dimitros Politis estavam sendoprocurados desde Março de 2011, acusados de pertencer a CCF, algo que negam. Atualmente os dois estão processados em dois juízos que ocorrem paralelamente contra a CCF. Além disso, o companheiro Giannis Mihailidis está acusado de ser quem estava junto com Theofilos Mavropoulos no tiroteio com os vermes, que aconteceu em Maio de 2011 no município ateniense Pefki , em que Theofilos foi ferido gravemente e preso.

Enquanto, os três primeiros estão no múdulo A de Koridallos, o companheiros Nikos Romanos se encontra no cárcere de menores em Avlona ( uns 100 km ao norte de Atenas):

Nikos Romanos

Avlona Special Youth Detention Centre, 19011 Avlonas, Attica, Grecia.

Fivos Harisis, Argyris Ntalios, Grigoris Sarafoudis y Gannis Naxakis: Os 4 companheiros foram detidos em 30 de Abril de 2013 no município ateniense de Nea Filadelfia. Fivos e Argyris estavam em busca e captura desde inícios de Fevereiro de 2013, acusados de pertecencerem a CCF e participar em vários assaltos a bancos, entre outros também o de Velventos. Se deve ressaltar que os companheiros se negaram a declarar.

Dikastiki Filaki Koridallou-A pteryga

T.K. 18110 Cárcel de Koridallos

Atenas. Grecia

LUTA REVOLUCIONARIA

Kostas Gournas: No 10 de Março de 2010 durante um tiroteio com a polícia caiu morto o companheiro Lambros Foundas. Em 10 de Abril de 2010 detiveram a 6 anarquistas: Nikos Maziotis; Pola Roupa, Kostas Gournas, Vagelis Stathopoulos, Christoforos Kortesis e Sarantos Nikitopoulos, acusando-os de pertencer a organização Luta Revolucionária ( que realizou vários ataques com explosivos e armas entre 2003 e 2009). Alguns dias depois, xs três primeirxs assumem sua participação a dito grupo, enquanto os demais o negam. Stathopoulos, Kortesis e Nikitopoulos saem a rua ( com medidas cautelares e sob fiança) a inícios de Abril de 2011, enquanto que xs três membros declaradxs ficam em liberdade provisória no 11 de Outubro de 2011, depois de cumprir os 18 meses de prisão preventiva. O julgamento contra Luta Revolucionária se iniciou em 5 de Outubro de 2011 e se concluiu, depois de 52 sessões, em 3 de Abril de 2013. As penas foram as seguintes: Roupa e Gournas – 50 anos e 6 meses, Maziotis – 50 anos, Stathopoulos – 7 anos e 6 meses, Kortesis – 7 anos. Os demais acusados, Sarantos Nikitopoulos, Maria Beraha ( esposa e mãe de dois filhos de Gournas que não havia entrado na prisão) e Kostas Katsenos (em busca e captura desde Agosto de 2010 acusado de pertencimento a LR, acompanhado por seus advogados se entregou em 30 de Setembro de 2011 e saiu em liberdade condicional em 29 de Março de 2012) foram absolvidos.

Nikos Maziotis e Pola Roupa não esperaram ao final do julgamento e em Junho de 2012 tomaram o caminho da liberdade clandestina fugindo junto com seu filho, nascido no cárcere e que chamaram Victor-Lambros ( Victor em homenagem ao pai de Pola Roupa, que foi sabotador contra os nazis durante a Segunda Guerra Mundia e Lambros em homenagem a Lambros Foundas). Chistoforos Kortesis obteve a liberdade condicional em 5 de Julho de 2013 ( sob fiança de 2.000 euros e com medidas cautelares) e Vagelis Stathopoulos em 15 de Julho (a mesma fiança e medidas cautelares).No dia 16 de julho, Nikos Maziotis Foi preso o compa Nikos Maziotis após ser gravemente ferido tras um tiroteio com xs gambes na zona Monastiraki no centro de Atenas. No dia 26 de julho foi trasladado desde o hospital das prisões de Koridallos para a prisão de Divata, perto da cidade de Tesalónica. No entanto o único encarcerado pela Luta Revolucionária é o companheiro Kostas Gournas que se encontra preso junto com os presos da organização armada 17 de Novembro no módulo especial do recinto carcerário de Korydallos ( na realidade se trata de um porão situado abaixo da prisão de mulheres).

Kostas Gournas

Dikastiki Filaki Koridallou, Parartima Gynaikeion Filakon Koridallou

Solomo 3-5, 18110 Koridallos

Atenas, Grecia

Mais informação sobre presxs e processadxs em Grécia:

https://interama.info;en

INGLATERRA

John Bowden: Lutador anti-carcerário, toda sua vida adulta trancafiado, desde de 1982, após ser declarado culpado de assassinato. Sobreviveu a longos períodos de isolamento, brutais espancamentos e torturas. Escreveu artigos críticos e defende o direito das pessoas presas. Luta por uma audiência justa por sua liberdade condicional. Está em isolamento e agradece as cartas.

Mais informação: http://leedsabc.org/support-for-john-bowden/

John Bowden

(6729) HMP Shotts

Canthill Road, Shotts

Lanarkshire, Scotland

ML7 4LE (Inglaterra)

Debbie Vicent : ativista pelos direitos dos animais, foi sentenciada no 17 de abril a 6 anos de prisão.Acusada culpada da ‘conspiracy to blackmail’. Era a ultima procurada na lista das campanhas contra o laboratório Huntingdon Life Sciences, onde matam 500 animais por dia.

Para mais info http://blackmail3.org // http://stopukrepression.org/

Debbie Vincent (A5819DE)

HMP-YOI BRONZEFIELD

Woodthorpe Road,Ashford,

Middlesex,

TW15 3JZ

Kevan Thakrar: Com 25 anos de idade, condenado polemicamente a 35. Muitas das cartas que o escrevem, não lhe são entregues. Em dezembro de 2013 foi transferido pra unidade de segregação por resistência contra as autoridades carcerarias, sem acesso a banho nem telefone.

Para apoiá-lo: justiceforkevan.com

Kevan Thakrar – A4907AE

Segregation Unit

HMP Whitemoor

Longhill Road

March

Cambridgeshire

PE15 0PR

Presas imigrantes de Yarl ́s Wood

Em fevereiro de 2010, houve uma greve de fome masiva na prisão der imigrantes Yarls Wood para acabar com as detenções indefinidas e os abusos. Durou 5 semanas, pese os ataques violentos dos seguranças da Serco. 70 mulheres de cor participaram e se forçou com a greve a sua liberação, mas algumas foram transferidas a prisões afastadas

Aminata Camara

(TG8688), HMP Bronzefield,

Woodthorpe Road, Ashford,

Middlesex TW15 3JZ (Inglaterra)

Sheree Wilson

A0353AQ

HMP and YOI Holloway

Parkhurst Road

London

N7 0NU

Heather Nicholson: Condenada a 11 anos por ser a fundadora da campanha internacional para Combater a Crueldade Animal de Hundingdon (Stop Huntingdon Animal Cruelty -SHAC). Data de nascimento 30 de Janeiro.

Heather Nicholson

(A3158AJ), C1-01, HMP Send, Ripley Road,

Send, Surrey,

GU23 7LJ (Inglaterra)

Luke Steele: É um preso da campanha SHAC. Condenado a 18 meses em julho de 2012.

Luke Steele

(A5023CK), HMP Birmingham,

Winson Green Road, Birmingham,

B18 4AS (Inglaterra)

IRLANDA

Rebecca Rubin: Setenciada em janeiro de 2013 a 5 anos. Assumiu a responsabilidade oir quatro ações da Frente de Libertação Animal e Frente de Libertação da Terra: liberação de animais, porte de material incendiário contra estações de ski e escritrório da U.S. Forest Industries

Rebecca Rubin #98290-011

FCI Dublin

5701 8th Street – Camp Parks

Dublin, CA 94568

ITÁLIA

Genôva

Presos por saque e devastação contra propriedade privada durante o encontro do G8 em Genôva em 2001.

Marina Cugnaschi, CC Bollate, Via Cristina Belgioioso 120, 20021 Milano,

Italia.

Alberto Funaro, c/o Casa di reclusione di Rebibbia, Via Bartolo Longo 72,

00156 Roma, Italia.

Francesco Puglisi C.C. Rebibbia, (Braccio G9/2° Piano), Via Raffaele Majetti

70, 00156 Roma, Italia.

Presxs NO TAV

O movimiento NO TAV (contra o trem de alta velocidade), cuja tática de atuar é o Black block, foi alvo de várias ações repressivas. Alessio del Sordo e Giobbe foram compas seqüestrados por formar parte deste movimento. Alessio já se encontra na rua e Giobbe foi solto no dia 27 de agosto de 2013 com a proibição de sair de Turim e a obrigação de voltar para dormir na cadeia. Contatos para escrever as/aos que resistem na prisão:

Gabriele Tomasi

Alberto De Stefanis

Luke Molina

Matthias Moretti

Piero Rossi

Ennio Edoardo Donato

Marcello Botte

C.C. via Maria Adelaide Aglietta n° 35

10151 Torino

Presxs do golpe repressivo de 03/06/2014:Nas primeiras horas da manhã do dia 3 de junho de 2014, aconteceu uma operação repressiva orquestrada pelo promotor “masson” Rinaudo, contra realidades hostis anarquistas e anti- autoritárias, a DIGOS(polícia política) e os carabineiros(polícia militar), realizaram 25 registros em Turim e na província de Piemonte, entre eles entrando na okupa Asilo Okupado e na casa okupada da rua Lanino, além da notificação e da execução de diversas medidas cautelares: 10 prisões, 6 prisões domiciliares, 4 residências obrigatórias, 4 proíbições de residência, 4 com obrigação de assinar na delegacia. As acusações se referem principalmente com as recentes resistências a desalojos com piquetes e manifestações espontâneas e também a recentes ataques ao Partido Democrata.Os endereços para escrever aos compas encarceradxs é:

Daniele Altoè C.C. Piazza Don Soria, 37 – 15121 Alessandria Italia (No está en

San Michele)

Andrea Ventrella C.C. Via Port’Aurea, 57 – 48121 Ravenna Italia

Paolo Milan C.C. Brissogne, Loc. Les Iles, 14 – 11020 Aosta Italia

Toshiyuki Hosokawa C.C. Brissogne, Loc. Les Iles, 14 – 11020 Aosta Italia

Giuseppe De Salvatore C.C. Via dei Tigli 14 – 13900 Biella Italia

Francesco Di Berardo C.C. Via Roncata 75 – 12100 Cuneo Italia

Nicolò Angelino C.C. via Maria Adelaide Aglietta 35 – 10151 Torino Italia

Marianna Valenti C.C. via del Rollone 19 – 13100 Vercelli Italia

Fabio Milan C.C. via del Rollone 19 – 13100 Vercelli Italia

Michele Garau Strada Quarto inferiore 266 – Loc. Quarto Inferiore – 14030

Asti Italia

Graziano Mazzarelli Casa Circondariale Via Paolo Perrone 4

Borgo S.Nicola 73100 Lecce Italia

Lucio Alberti e Francesco Sala Casa Circondariale San Vittore

Piazza Filangeri 220123 Milano Italia

 

Nicola Gai e Alfredo Cospito: Companheirxs anarquistas que no dia 7 de maio de 2012, atacaram ao magnata, conselheiro delegado da multinacional de energia nuclear Ansaldo Nucleare, Roberto Adinolfi, com disparos em suas pernas, ação que foi reivindicada como Núcleo Olga-FAI/FRI. Em setembro do mesmo ano xs companheirxs são presxs , com provas baseadas em imagens de uma câmera de segurança de um bar próximo ao local onde foi abandonada a moto utilizada na ação, além de microfones e demais aparatos tecnológicos. Em outubro de 2013, passam por um julgamento abreviado, onde assumem sua responsabilidade pela ação, com duas ferozes declarações diante do tribunal, são condenados, Nicola a 9 anos e 4 meses, e Alfredo a 10 anos e 8 meses.Se encontram atualmente na prisão de Ferrara, num módulo especial criado principalmente visando xs anarquistas.

Para mais informação sobre os companheiros: nidieunimaitres@gmail.com

Para escrever aos companheiros:

Nicola Gai: C.C Ferrara Via Arginone 327 44122 Ferrara Itália

Alfredo Cospito: C.C Ferrara Via Arginone 327 44122 Ferrara Itália

Presxs da Operação “Ardesia”

Na quarta-feira 28 e sexta 30 de maio, xs companheirxs Francesco e Daniele foram levadxs à prisão para cumprir uma pena residual (Francesco 2 anos e 1 mês e Daniele 1 ano e 9 meses), em relação com um roubo ocorrido em Lucca, em junho de 2007. No dia 20 de maio, o tribunal de cassação confirmou a sentença ditada no julgamento de apelação. Daniele se encontra detida na prisão de Pisa e Francesco na prisão de Livorno. Para escrever a elxs:

Daniele Casalini

Casa Circondariale “Don Bosco”

Via Don Bosco 43

56100 – Pisa

Francesco Gioa

Casa Circondariale “Le Sughere”

Via delle Macchie 9

57100 – Livorno

Gianluca Iacovacci e Adriano Antonacci: Companheirxs anarquistas presxs no dia 19/09/2013, em uma operação repressiva encabeçada pelo promotor Giancarlo Capaldo do esquadrão anti-terrorista, e por Mario Parente(diretor do ROS, grupo de operações especiais dos carabineiros), acusando-xs de várias ações realizadas na província de Roma, contra bancos, lojas que vendiam roupas de peles de animais, entre outros objetivos, ações reivindicadas por uma célula da FAI/FRI e pelas quais Gianluca assume a responsabilidade. Xs compas foram mantidos em isolamento desde o momento de sua prisão e suas audiências tem sido feitas por vídeo-conferência, como medida preventiva contra “presxs perigosxs”, as quais ambos se negaram a assistir.

Além do italiano xs compas sabem apenas um pouco de inglês, pelo que xs compas da publicação eco-anarquista Fenrir, podem traduzir cartas em inglês, espanhol e francês:

fenrir@riseup.net , para escrever diretamente aos compas:

Adriano Antonacci: C.C Ferrara Via Arginone 327 44122 Ferrara Italia

Gianluca Iacovacci: Via Casale 50/A 15122 San Michele (AL)Italia

Davide Delogu: Compa anarquista condenado por roubo e tentativa de homicídio de um bombeiro aposentado. Será liberado em 2027.

Para escrever-lhe:Davide Delogu

Galera di Cagliari

Viale Buoncammino 19

03123 Cagliari

Italia

MÉXICO

Alvaro Sebastián Ramirez: Preso da Outra Campanha. Detido em 15 de dezembro de 1997 em Oaxaca e apresentado como integrante do Exército Popular Revolucionário EPR. Até 26 de Dezembro teve marcas visíveis de tortura. Esteve desaparecido 11 dias em um cárcere clandestino. Acusações que lhe atribuem: Homicídio qualificado, homicídio em grau de tentativa, terrorismo e conspiração.

Mail:lavozdelosxiches@gmail.com

Carlos López Marin – Acusado de participar no ataque com pedras e coquitéis molotov nas instalações da Secretaría de Comunicaciones y Transportes e uma concesionária NISSAN na Cidade do México. Foi detido junto com Fallon Roullier e Amelie Trudeu. Em 9 de Janeiro foi detido 40 días acusado de terrorismo. Nesses quarenta dias tentaram armar uma acusação contra ellxs, e apesar dos seus métodos intimidatórios e inquisitoriais, foram incapazes de montar seu caso, de modo que ao término da detenção em 17 e Fevereiro foram deixadxs en libertad por falta de provas; no entanto, a Policía Local do Distrito Federal voltou a deter-lo pela acusação pendente de danos e ataques à paz pública. Foi transferido para o Reclusorio Oriente. Seu julgamento começou 3 de abril de 2014, e em 16 de maio de 2014 se anunciou que os três compas teriamo que enfrentar diferentes processos penais; um de foro local pelo ataque à concesionaria Nissan e outro federal pelo ataque à Secretaría de Comunicaciones y Transporte. Em 31 de ootubro lhe foi ditada a sentença no caso federal: 7 anos 6 meses.

Para escrever a Carlos:

Reclusorio Preventivo Oriente
Carlos López Marin
Calle Reforma #50
Col. San Lorenzo Tezonco,
Deleg. Iztapalapa
C.P. 09800

Amelie Trudeu – Acusada de participar no ataque com pedras e coquitéis molotov nas instalações da Secretaría de Comunicaciones y Transportes e uma concesionária NISSAN na Cidade do México. Foi detida junto com Carlos López e Fallon Roullier. Em 9 de Janeiro foi detida por 40 días acusada de terrorismo. Nesses quarenta dias tentaram armar uma acusação contra ellxs, e apesar dos seus métodos intimidatórios e inquisitoriais, foram incapazes de montar seu caso, de modo que ao término da detenção em 17 e Fevereiro foram deixadxs en libertad por falta de provas; no entanto, a Policía Local do Distrito Federal voltou a deter-lo pela acusação pendente de danos e ataques à paz pública. Foiue transferia ao cárcere femenino de Santa Marta. Seu julgamento começou 3 de abril de 2014, e em 16 de maio de 2014 se anunciou que os três compas teriamo que enfrentar diferentes processos penais; um de foro local pelo ataque à concesionaria Nissan e outro federal pelo ataque à Secretaría de Comunicaciones y Transporte. Em 31 de ootubro lhe foi ditada a sentença no caso federal: 7 anos 6 meses.

Fallon Roullier – Acusada de participar no ataque com pedras e coquitéis molotov nas instalações da Secretaría de Comunicaciones y Transportes e uma concesionária NISSAN na Cidade do México. Foi detida junto com Carlos López e Amelie Trudeu. Em 9 de Janeiro foi detida por 40 días acusada de terrorismo. Nesses quarenta dias tentaram armar uma acusação contra ellxs, e apesar dos seus métodos intimidatórios e inquisitoriais, foram incapazes de montar seu caso, de modo que ao término da detenção em 17 e Fevereiro foram deixadxs en libertad por falta de provas; no entanto, a Policía Local do Distrito Federal voltou a deter-lo pela acusação pendente de danos e ataques à paz pública. Foiue transferia ao cárcere femenino de Santa Marta. Seu julgamento começou 3 de abril de 2014, e em 16 de maio de 2014 se anunciou que os três compas teriamo que enfrentar diferentes processos penais; um de foro local pelo ataque à concesionaria Nissan e outro federal pelo ataque à Secretaría de Comunicaciones y Transporte. Em 31 de ootubro lhe foi ditada a sentença no caso federal: 7 anos 6 meses.

Para escrever a Fallon e Amélie:

Centro Feminil de Reinsercion social Santa Martha Acatitla
Amélie Trudeau / Fallon Rouiller
Calzada Ermita
Iztapalapa No 4037
Colonia Santa Martha Acatitla
Delagation Iztalpalapa
C.P. 09560

Fernando Bárcenas Castillo – Preso em 13 de dezembro de 2013, durante os protestos o aumento do preço das passagens de metro na Cidade do México. Desde então se encontra na prisão preventiva no Reclusorio Norte a espera da sentença, acusado de ataques a paz pública pela queima da árvore de natal da empresa Coca-Cola.

Abraham Cortés Ávila – É um jovem artesão e malabarista 23 da cidade de Tlaxiaco, Oaxaca. Esteve a 02 de outubro de 2013 no centro da Cidade do México para comprar material para seu artesanato. Vendo a operação policial intensa decidiu juntar-se a marcha até o Teatro Blanquita. Lá ele encontrou um conhecido a quem acompanhou em parte do percurso. A poucos metros de perceber que eles são perseguidos por dois homens vestidos com corte militar civil e, simultaneamente, observar que o abuso de policiais uniformizados com equipamento anti-motim agrediram manifestantes em toda a linha. É então que eles começaram a correr sendo perseguido por indivíduos e veio para incomodar. Ao chegar ao panteão de San Fernando perto metro Hidalgo são alcançados e Pesquisa agredido pela polícia. Detido foi carregado em uma patrulha com os policiais foram dedicados a explorar a área, coletando vários objetos, incluindo 223 balas calibre, que, posteriormente, apresentados como prova de atos criminosos contra ele incluído. Depois de cerca de uma hora, durante a qual sofreu abusos e tratamentos degradantes foi levado para uma instalação do Gabinete do Procurador-Geral e, em seguida, apresentá-lo no escritório de uma agência na delegação Iztacalco. Até vêm dois uniformizado declarando contra as acusações de tentativa de assassinato. Em 2 de junho ele foi entregue uma sentença de 13 anos e quatro meses de prisão injusta, isto apesar do MP nunca creditado a palavra do policial que o acusam e eles não encontraram provas suficientes para continuar o processoO caso de Abraham Cortés Ávila é relevante, uma vez que é, até agora, a sentença mais longa que ocorreu no contexto da repressão e criminalização do protesto social na Cidade do México. É importante ressaltar que o parceiro não tem parentes na cidade, por isso é difícil de acompanhar o caso por sua família. Então Abraão está atualmente servindo a pena de prisão no norte e junto com Fernando Barcenas está desenvolvendo um projeto chamado de difusão anticarcelario jornal “o Canero“. Se você quiser saber mais visite: www.proyectoambulante.org
regeneracionradio.org
www.abajolosmuros.org

 libertadparaabrahamyfernado@gmail.com

Para mais info e para escrever ao companheiro: cna.mex@gmail.com

NOVA ZELANDIA

Taame Iti e Te Rangikaiwhiria Kemara (Rangi): Condenado a 2 anos e meio de cárcere acusados de posse ilegal de armas de fogo. São lutadores pela descolonização. Rangi é anarquista envolvido em lutas operárias, ecologistas e pela justiça social.

Te Rangikaiwhiria Kemara #80192504 – Tame Iti #84563

Mt Eden Corrections Facility

Private Bag 92625

Symonds Street

Auckland 1150

Nova Zelândia

PALESTINA

O estado israelense tem umas 4.610 pessoas sequestradas da Palestina, porém sua brutalidade não distingue: 700 crianças são presas por ano, a partir dos 10 ou 11 anos, acusadas do delito de atirar pedras ao exército israelense. Recebem o mesmo trato que os adultos: são presos em suas casas no meio da noite, algemados e com os olhos vendados, mantidos em isolamento nas prisões militares de adultos,submetidos a tortura física e psicológica, interrogados sem presença de advogados ou familiares, ameaçados e pressionados para confessar delitos que não cometeram ou para delatar a adultos de sua comunidade. Numerosos testemunhos em várias localidades da Cisjordânia confirmam que o principal objetivo das prisões de menores é aterrorizá-los para forçá-los a converter-se em colaboradores e informantes da ocupação. As crianças podem permanecer na prisão por períodos de dois a seis meses ou mais. Um alvo fácil são as crianças que participam nas manifestações pacíficas que semanalmente se realizam em várias aldeias. Igualmente aos adultos, os menores somente são liberados depois de pagar-se altas somas de dinheiro. Segundo a organização de Direitos Humanos e apoio a presos Addamer(WWW.addamer.org) há 4.604 presos palestinos em Israel, e 6 presas. São 203 crianças, 527 condenados a prisão perpétua, e 75 presos que levam mais de 20 anos seqüestrados.

POLÔNIA

Artur Knowalk: é um preso social que luta contra as condições que sofrem nos cárceres polacos, descrevendo-o em cartas publicadas. Somente fala polaco, porém gosta de receber postais.

Artur Konowalik

Zaklad Karny

Zaleska 76

35-322 Rzeszow. Polonia.

RÚSSIA

Ilya Romanov: Anarquista desde os anos 80, já foi detido como suposto membro da Nova Alternativa Revolucionária, grupo anarquista que realizou uma série de ataques entre 1996 e 2000. Ilya foi sentenciado a tratamento em um hospital psiquiátrico por dois anos. Em dezembro de 2002 foi detido na Ucrânia, acusado de assaltos a joalherias e casas de câmbio, tráfico ilegal de armas e participação em bombaço contra a sede do Serviço de Segurança da Ucrânia, organismo sucessor da KGB. Foi extraditado e condenado a 10 anos de prisão na Rússia. Ilya negou todas as acusações, denunciando que foi torturado mental e fisicamente durante a prisão preventiva. No decorrer de sua vida se envolveu em diversas lutas, desde iniciativas anti-nucleares, grupos sindicais, apoio axs presxs e contra a psiquiatria. Finalmente, foi liberado em dezembro de 2012. Está preso preventivamente acusado de um suposto ataque explosivo frustrado. Resultou ferido depois de que explodira um petardo que transportava em mãos,enquanto caminhava nas cercanias de uma oficina de recrutamento do exército russo em Nizhni Nóvgorod, Volga (oeste da Rússia)durante as primeiras horas de 27 de outubro de 2013. Perdeu dedos da mão esquerda, e mais alguns ferimentos no rosto. Em dezembro de 2013, o companheiro foi acusado a partir das acusações do Artigo 205 do Artigo 30 do código penal da federação russa: tentativa de ataque terrorista. Estima-se que pode pegar de 5 a 6 anos de prisão.

Ilya Eduardovich Romanov

1967 g.r., FKU SIZO-1

ul. Gagarina, d.26-a

603098 – Nizhnii Novrogod

Russia

Ilya só pode receber cartas em russo, caso escreva em outro idioma, pode-se

enviar para o email da Cruz Negra de Moscou.

Para isso e/ou mais informações sobre iniciativas para arrecadar fundos: abc-

msk@riseup.net

Alexey Gaskarov: Ativista social e economista russo, foi preso em Moscou em 27 de Abril de 2013. Originalmente, seu nome se fez famoso tanto na Rússia como no estrangeiro no ano de 2010 como um dos “Detidos de Khimi” em consequência de sua detenção um dia depois de uma ação de protesto no subúrbio moscovita de Khimi, aparentemente devido a seu papel como porta-voz dos movimentos antifascista e ecologista. Depois de três meses em prisão preventiva e de ser triunfalmente absolvido de todas as acusações contra si, Gaskarov não abandonou seu ativismo. Ao contrário, ainda se envolveu mais em numerosas causas e campanhas. Havendo ganhado fama como antifascista, durante os dois últimos anos Alexey se converteu em uma figura pública visível graças a sua energia, inteligência, paixão e compromisso.

Alexey Vladimirovich Gaskarov (den rozhdeniya 19.06.1985)

FKU SIZO-5 (Vodnik) UFSIN Rossii po g. Moskve, Moskva

Vyborgskaya, 20 125130 Russia

Alexey Polikhovich:Está em prisão preventiva, foi a décima sexta pessoavacusada de se auto-defender dos ataques policiais contra manifestantes na praça Bolotnaya em 6 de maio de 2012. É o terceiro anarquista detido neste caso, na atualidade Alexandra Dukhanina (em prisão domiciliar a espera de juízo) e o preso Stepan Zimin. Alexey foi detido na noite de 25 de julho de 2012 e sua casa foi registrada. Atualmente está acusado pelo artigo 212, partes 2 e 3, do código penal russo (incitação e participação em distúrbios) e a lei 318, parte 1, do código penal (violência contra funcionário público). Sua prisão se baseia unicamente no testemunho da polícia antidistúrbios e fotos de alguém com uma máscara. O “E Centre” (Centro para resistir ao extremismo político) também proporcionou ajuda judicial para que siga em preventiva dizendo que “Polikhovich é membro e estácom organizações extremistas”. Alexey tem 21 anos, nasceu em Moscou e foi recrutado para marinha. Depois começou seus estudos em um programa de conflitologia na Universidade Social da Russia, e terminou o primeiro ano de estudos. Durante seus estudos, trabalhava como mensageiro. Polikhovich se uniu aos blocos anarquistas em todas as ações de protesto, também participou do movimento Occupy de maio-junho de 2012 e se uniu ao protesto para defender o bosque Tsagovskiy da cidade de Zhukovskiy, região de Moscou.

Stepan Zimin: Na noite de 9 de junho de 2012 foi detido este anarquista, suspeito de haver se defendido da polícia na praça Bolotnaya em 6 de maio de 2012.A promotoria disse que Zimin havia atacado a um policial, cujo dedo se quebrou, é acusado pelos artigos 212, parte 2, do código penal russo e o 318 parte 1 (distúrbios e violência contra funcionário público). Stepan foi detido, junto a centenas de pessoas, em 6 de maio de 2012. A princípio as acusações foram menores e foi condenado por “não cumprir ordens judiciais dos policiais”. O encarceramento e as acusações contra Zimin são ilegais, já que é ilegal condenar alguém duas vezes pelo mesmo incidente.

Stepan Yurevich Zimin,

god rozhdeniya 1992, FKU SIZO-5 (Vodnik) UFSIN Rossii po g. Moskve,

Vyborskaya 20, 125130 Moskva, Russia.

Anton Fatullayev: Em 24 de Fevereiro de 2012, condenaram Anton a 4 anos e dois meses de prisão por dois incidentes. No outono de 2010, Anton e seus amigos tiveram um enfrentamento com sete hooligans de extrema direita da Spartak de Moscou, na estação de metro “Ploschad Il’icha” de Moscou. Anton também foi acusado de ter participado de uma briga no primeiro de maio de 2010 na estação de metro “Alexeyevskaya” de Moscou. Nesse dia, um grupo de fascistas atacou a um grupo de pessoas, anarquistas e antifascistas, que vinham da manifestação de primeiro de maio. Segundo Fatullayev, viajava no vagão ao lado, e viu quando foram atacados seus companheiros. Na estação correu pra fora e atacou ao nazi Yevsyukov, o nocauteou. Segundo a promotoria, Fatulayev não tratou de defender a seus companheiros mas sim de atacar a Yevsyukov com “intenção hooligan”, ou seja, sem motivo. O juiz, obviamente, deu razão a promotoria

Anton Abusaidovich Fatulayev,

ul. Semashko dom 1, FKU IK-5, 243240 Bryanskaya oblast, Russia.

Igor Kharchenko:Foi detido em setembro de 2011. É acusado de ter participado de uma briga em 4 de julho de 2010, quando as pessoas de uma tocada punk/hardcore botaram pra correr a um grupo de nacionalistas, que tinham aparecido com o fim de matar a quem pudessem. Igor, entretanto, estava tocando no concerto no momento da situação. Todo o caso contra Igor se baseiaexclusivamente no testemunho dos fracassados “guerreiros da raça”, V. Sumin e V. Zhidousouv. A verdadeira razão da detenção de Kharchenko é uma tentativa de Moscou de vingar-se por seu fracasso de não deter a ninguém após a ação dos anti-fascistas contra a administração da cidade de Khimi em 28 de julho de 2010. Igor está co-acusado com Denis Solopov, um dos “reféns de Khimi” , que recebeu a condição de refugiado na Europa Ocidental depois que a Comissão de Direitos Humanos reconheceu que se levou a cabo a investigação policial sobre o caso Khimi com ilegalidades, por exemplo, com confissão mediante o uso de tortura. Investigadores de Moscou ignoraram o feito de que durante essa movida Solopov estava na Turquia, confirmado com selos em seu passaporte, e um monte de testemunhas oculares. A investigação também trata de acusar a Kharchenko de “organização de comunidade extremista”, artigo 282.1 do código penal russo.

Kharchenko Igor Olegovich,

FKU SIZO-2 UFSIN Rossii po g. Moskve ul. Novoslobodskaya d. 45 127055

Moskva, Russia.

Irina Lipskaya:Presa pelo caso do “clube Barikad” desde o 4 de julho de 2012, considerada suspeitosa de ter cometido um delito segundo o artigo 213 parte 2 do código penal (“hooliganismo, cometido em grupo”).

Lipskaya Irina Antonovna,

1988 g.r, ul. Shosseynaya, 92, SIZO-6 “Pechatniki”, k.308, 109383 Moskva,

Russia.

Para mais informações sobre xs companheirxs presxs na Russia abc-

msk@riseup.net

SAHARA

Doze anos leva a Missão das Nações Unidas para o Referendum no Sahara Ocidental (MINURSO), nos territórios ocupados pelo Marrocos e nos acampamentos de refugiados de Tinduf (Argélia): férias remuneradas. A Comunidade Internacional olha para outro lado, sentandona mesa vítimas e carrascos, pedindo-lhes uma aproximação que parte da desvantagem dos abusos que vem cometendo o Marrocos no Sahara Ocidental por 36 anos. Detenções, tortura e desaparecimentos são cotidianos, a brutalidade policial também. São incontáveis as vítimas da repressão nesse espaço.

Recomendamos a Associação de Familiares de Presxs e Desaparecidxs Saharauis: http://afapredesa.blogspot.com.es/

SUÉCIA

Peter Sunde: fundador do site The Pirate Bay está preso na Suécia por crime contra os Direitos Autrais, que apenas impedem a livre circulação de informação

Peter Sunde

Box 248

593 23 Västervik

Sweden

SUIÇA

Marco Camenisch: é um ativo companheiro anarquista, ecologista, anti-nuclear. Foi transferido duas vezes em 6 meses. Desta vez o levaram ao Cárcere de Lenzburgo na Argovia. Não se sabe por que razão. O que está claro é que cada transferência supõe um grande stress para o preso. Uma nova situação, um novo regime,novas humilhações. Recentemente lhe incluíram na chamada “Op. Ardire” (Operação Ousadia) junto a outros 8 compas italianos e Gabriel Pombo da Silva, com a intenção de mantê-lo encarcerado. Marco necessita nossa solidariedade! Faz 20 anos que está enclausurado.Envia-lhe suas cartas de solidariedade:

Marco Camenisch

Postfach 75

5600 Lenzburg

Suiza

TURQUIA

Osman Evcan: É um compa anarquista e vegano. Em agosto de 2011 enviou uma carta expressando as dificuldades que tem para seguir com sua dieta dentro do cárcere. Está em uma prisão Tipo F, equivalente a uma de máxima segurança:

Osman Evcan

F Tipi Kapalı Cezaevi

Oda No: B-8 71480

Hacılar/Kırıkkale

Turquía

VENEZUELA

Bernhard Heidbreder: No início de julho de 2014, Bernhard Heidbreder foi preso pelas forças armadas da Venezuela em Mérida. Desde então, o cidadão alemão está sob custódia da polícia na central da Interpol de Caracas no Parque Carabobo. As autoridades alemãs pediram sua extradição, uma vez que na Alemanha realizam-se investigações preliminares contra ele. Junto com outros dois, é acusado Bernhard de 20 anos atrás ter sido um membro activo do grupo de esquerda militante K.O.M.I.T.E.E. Em 1994, o grupo realizou um ataque incendiário contra um prédio do exército alemão. Além disso, em 1995, ele planejou um ataque a uma prisão deportação estava em remodelação, mas, no último minuto, a operação foi abortada. De acordo com estas alegações, se Bernhard for extraditado para a Alemanha, esperam uma sentença de prisão grave.

+ info http://cnario.noblogs.org/post/2014/08/24/venezuela-contra-a-prisao-de-bernhard-heidbreder/

José Delmoral: é um jovem que desde 24 de Novembro de 2009 está preso por um crime não cometido. Todas as provas estão à mão de quem quiser comprová-lo, advogados, promotores,etc. Lhe roubaram quase três anos.

Mais informação: www.anarcopunknoticias.blogspot.com.es/2012/05/el-tigre-venezuela-firmas-on-line-para.html

LISTA INTERNACIONAL DE PERSEGUIDXS, FORAGIDXS E CLANDESTINXS POR LUTAR CONTRA O SISTEMA TERRORISTA, O CAPITAL, A PROPRIEDADE PRIVADA E PELA LIBERTAÇÃO ANIMAL E HUMANA, 2014.

Xs companheirxs em fuga, perseguição e clandestinidade puderam por diversas circunstâncias evadir a prisão, entretanto uma das dificuldades mais fortes que enfrentam é o ainda maior isolamento, pois em seu caso não existem maneiras de rompê-lo de forma direta ou pessoal (mediante cartas ou envios) e não tem o respaldo dos entornos sempre solidários: familiares e amigxs. Muitxs delxs continuam, apesar de sua situação, mandando apoio e solidariedade, contribuindo em alguns casos com reflexões e procurando que a luta continue. Só se pode chegar a elxs de forma pública. Neste listado incluímos as/aos perseguidxs dos povos indígenas, xs quais enfrentam a perseguição com um respaldo comunitário interessante sem que isso signifique uma situação mais agradável.

Pelo Estado Boliviano

Dirigentes Indígenas do TIPNIS: Atualmente se encontram atrincheradxs na cidade de Trinidad, com mandados de prisão contra elxs. O Estado Boliviano lançou uma “ordem de apreensão por tentativa de homicídio e lesões graves” a três dirigentes das comunidades indígenas do TIPNIS, como represália ante a “agressão” a um de seus servos. Cabe esclarecer que o território controlado pelo estado boliviano é auto-declarado indígena, pelo que existe um reconhecimento constitucional à justiça comunitária, que é a forma correta de chamar a agressão contra este servo do Estado. Entretanto, esse tipo de reconhecimento legal da pluralidade é só uma fachada e um discurso ornamental, é com a justiça ordinária, ou seja, ocidental, que se persegue a estes dirigentes, usando-se ambas justiças a gosto dos poderosos.

www.territoriosenresistencia.org

Pelo Estado chileno

Mapuches: Várixs mapuches são atualmente perseguidxs pelo estado chileno e se encontram na clandestinidade

http://wichaninfoaldia.blogspot.com/ e http://paismapuche.org/

Diego Ríos:Anarquista com mandado de prisão por terem encontrado explosivos em seu domicílio durante a onda repressiva após a morte do companheiro Maurício Morales. O governo chileno o acusa dentro da lei anti-terrorista. O companheiro se encontra em fuga e clandestinidade desde o ano de 2009.

Pelos Estados Unidos

Companheiro anônimo resistente ao Grande Juri. No ano de 2012, várixs anarquistas foram encarcerados por se negarem a indentificar ativistas de esquerda e manifestantes. O grande júri parecia estar investigando “atos de vandalismo” ocorridos em Seattle durante as manifestações de primeiro de Maio. Entretanto, Lauren Regan, uma advogada do Centro de Defesa das Liberdades Civis, indica que um grande júri havia sido posto em andamento no día 2 de Março, antes inclusive das manifestações. Pelo que o grande júri poderia ser usado para realizar um esquema sócia de anarquistas e ativistas de esquerda. Entre os presxs que se negara a falar estão xs companheirxs: Matthew Kyle Duran (Matt), Katherine Olejnik (KteeO), Maddy Pfeiffer y Kerry Cunneen, todxs um digno exemplo de rechaço a delação. Umx companheirx a mais dxs citadxs pelo grande júri optou por não se apresentar e fugir e se encontra em clandestinidade até os dias de hoje.

Pelo Estado grego

Marios Seisidis y Grigoris Tsironis,em fuga desde janeiro de 2006 acusado do mesmo assalto que Giannis Dimitrakis(Ainda desde outubro de 2009 as cabeças dos dois segue com preço posto)

Pola Roupa Membra de Luta Revolucionaria que depois da sua detenção junto com seu companheiro Nikos Maziotis, passou um ano e meio no cárcere. Nikos Maziotis e Pola Roupa não esperaram o final do julgamento e em Junho de 2012 tomaram o caminha da liberdade clandestina fugindo junto com seu filho, nascido no cárcere e que chamaram Victor-Lambros ( Victor em homenagem ao pai de Pola Roupa, que foi sabotador contra os nazis durante a Segunda Guerra Mundia e Lambros em homenagem a Lambros Foundas).

Panagiotis Aspiotis evadiu sua detenção em junho de 2013, depois que umas aremas fossem encontradas na zona de Exarchia, dentro de um carro alugado em seu nome. que evadió su detención en febrero de 2013, después de que unas armas fossem encontradas en la zona de Exarchia dentro de un coche alquilado a su nombre.

Spiros Dravilas: Nunca se declarou como anarquista, entretanto, é ativamente solidário e guerreiro. Faz vários meses realizou uma greve de fome para conseguir uma permissão e, com ajuda de uma pequena campanha solidária, a ganhou, atualmente se encontra foragido, já que aproveitou sua permissão para dar a fuga.

Christodoulos Xiros: No dia seis de Janeiro, a unidade anti-terrorista anunciou que violou sua sétima permissão temporária de saída da prisão por alguns dias e escapou. Christodoulos Xiros é um membro da organização Marxista 17 de Novembro (a organização está ativa por 7 anos, sendo responsável de 23 execuções de policiais, juízes, jornalistas, políticos, agentes americanos, dezenas de explosões e ataques com foguetes e já foram sentenciado seis vezes a prisão perpétua mais1000 anos de prisão)

Pelo Estado da Indonésia

K. A principios de outubro de 2011, os anarquistas Reyhart Rumbayan (Eat) e Billy Augustan foram detidos e acusados de um ataque incendiário a um caixa eletrônico, também se emetiu uma ordem de prisão contra K., quem conseguiu dar a fuga e segue clandestino.

Pelo Estado Mexicano

Mario Lopez (o Tripa) Detido no dia 27 de Junho de 2012 pela explosão de um artefato que deixou ele com queimaduras nos braços e pernas, fica hospitalizado um tempo, e sequestrado até o dia 28 de Dezembro de 2012, dia no qual ele sai em liberdade sob fiança em espera de juízo. A assinatura periódica no tribunal era um dos controles que Mario tinha que fazer de tempo em tempo. Em uma destas, no princípio de 2013, ele foi pego novamente. Em Abril do mesmo ano, sai novamente sob fiança, só que esta vez ele faz isto como uma estratégia para fugir do circo judicial e tomar outra forma de vida e luta: “é outra fase da luta que faz tempo decidi tomar, esta é outra fase que é comum na vida do individuo que decide tomar um caminho de insurreição e conflito permanente -interior e exterior- contra o poder, de quem não se reduz e fica firme em luta com todos os meios pela destruição do Estado-Capital, esta é outra fase que para mim não significa a clandestinidade (estou muito critico com a posição de clandestinidade quando ela é auto assumida ou voluntaria como forma de luta) se não que é uma medida imposta pelo inimigo que desenha o define novas condições para levar a cabo a luta anárquica” (Mario Lopez, abril de 2014)

Felicity Ryder. Em 27 de junho de 2012 Mario López Hernández foi capturado ao cair ferido no momento em que se ativara um dispositivo explosivo colocado nas imediações da Colonia Del Carmen na Delegaciòn Coyoacán da cidade do México, pelo que foi transladado ao Hospital Rubén Leñero e posteriormente encarcerado. Em 28 de dezembro logra a liberdade condicional na espera do julgamento. A companheira Felicity Ann Ryder, foge ao laçar-se uma ordem de captura contra si porque Mario tinha seus documentos na mochila no dia de sua prisão. Apesar de que o compa Mario esclarece em todas suas declarações que atuou individualmente, tentam vincular-la aos ataques explosivos realizados na noite de 26 e durante a madrugada de 27. Atualmente segue foragida em clandestinidade.

Mais info: http://solidaridadfelicity.wordpress.com

Existem muitxs outrxs compas foragidxs e clandestinxs que permanecem ou permaneceram em anonimato, assumindo uma clandestinedade silenciosa porém sempre ativa. Existem muitxs compas sequestradxs que não incluímos por falta de informação. Nos desculpamos se a lista chega a suas mãos e vocês ou suas compas não estão. Assim como por não incluir as/aos sequestradxs em instituições psiquiátricas. Convidamos todxs xs companheirxs que se interessem por esta iniciativa que aproximemos os laços e façamos desta lista uma construção coletiva e constante.

Solidariedade ativa, solidariedade anarquista

com todxs sequestradxs e clandestinxs!

Nada terminou, podemos sempre seguir atacando!

Editado pela Cruz Negra Anarquista de Porto Alegre em base de

outras listas construídas em outras localidades.

 

Para mais informação:

Sites de Contra-Informação:

Cumplicidade: http://cumplicidade.noblogs.org

Autogestão: http://autogestao.org

Midia Negra: http://midianegra.noblogs.org

Contra-Info: http://pt.contrainfo.org

Agência de Notícias Anarquistas:

Cruz Negra Anarquista:

Porto Alegre: http://cnapoa.noblogs.org

Rio de Janeiro: http://cnario.noblogs.org

Buenos Aires: http://www.cruznegraanarquista.net/

Ibérica: http://www.nodo50.org/cna/

Colômbia: http://www.nodo50.org/cna/

México: http://www.abajolosmuros.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *