[Venezuela] Contra a prisão de Bernhard Heidbreder

No início de julho de 2014, Bernhard Heidbreder foi preso pelas forças armadas da Venezuela em Mérida. Desde então, o cidadão alemão está sob custódia da polícia na central da Interpol de Caracas no Parque Carabobo. As autoridades alemãs pediram sua extradição, uma vez que na Alemanha realizam-se investigações preliminares contra ele. Junto com outros dois, é acusado Bernhard de 20 anos atrás ter sido um membro activo do grupo de esquerda militante K.O.M.I.T.E.E. Em 1994, o grupo realizou um ataque incendiário contra um prédio do exército alemão. Além disso, em 1995, ele planejou um ataque a uma prisão deportação estava em remodelação, mas, no último minuto, a operação foi abortada. De acordo com estas alegações, se Bernhard for extraditado para a Alemanha, esperam uma sentença de prisão grave.

Quase vinte anos atrás Bernhard tanto quanto os outros dois acusados ​​evitaram os tribunais alemães, sorrateiramente e, ao que parece, poderiam começar uma nova vida. Nós, somos velhos amigos de Bernhard e o conheçemos bem como um lutador da esquerda revolucionária. Sabemos que ele não quer de forma alguma ser extraditado, e é por isso que, com esta carta, fomos para o público e o governo da Venezuela.

O K.O.M.I.T.E.E. foi o movimento de esquerda. O ataque ao prédio do exército alemão foi uma reação à perseguição dos curdos e curdas na Turquia e também o apoio do governo alemão para essa política de repressão. A tentativa de atentado contra a prisão de deportação estava sendo reformada foi destinado a abrir um caminho que impedisse os refugiados na Alemanha de serem deportados para outros países onde enfrentavam perseguição ou têm de viver na miséria. Hoje, mais do que nunca, os refugiados lutam ao lado da esquerda e de muitas outras pessoas contra a política racista que a UE pratica contra os refugiados, e por isso todos os dias as pessoas pagam com suas vidas. Os Estados da União Europeia têm uma responsabilidade histórica imensurável com os países da Ásia, África e América Latina, mas recusam-se a assumir por todos os meios.

Também na Venezuela, muitas pessoas criticam as circunstâncias decorrentes de racismo e capitalismo. O mesmo governo definiu como alvo um mundo mais justo, em que todas as pessoas tenham uma vida digna. O K.O.M.I.T.E.E. lutou por esse mundo! Se esses três réus faziam parte deste grupo ou não, uma coisa é clara: os responsáveis ​​por esses ataques não são criminosos, suas ações tiveram um sinal muito forte e ninguém ficou ferido o que não pode ser dito de política que a Alemanha pratica contra os refugiados. É por isso que lançamos esta atento chamado governo venezuelano para não entregar às autoridades alemãs, Bernhard.

+info

IMG_20140823_013226

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *