||CineQueer|| Abaixo os muros das prisões + Festa

“A própria forma do tribunal pertence a uma ideologia da justiça que é a da burguesia.” Michel Foucault

Num momento como esse, no qual o Estado brasileiro se rearranja em uma nova ofensiva contra movimentos sociais e indivíduos que se organizam para questionar sua ordem e seu caráter repressivo, problematizar a existência das prisões se torna fundamental para contestar as dimensões “legais” do poder do Estado e o estabelecimento de relações hierárquicas que possibilitam sua atuação.

18h_exibição do filme “Que bom te ver viva” (1989), de Lúcia Murat; conversa com as convidadas:
Ana Bursztyn-Miranda: ex-presa política entre 1968 e 1974 no Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná; sanitarista e mestre em Ciência da Informação; integrante do Coletivo RJ Memória, Verdade e Justiça e do movimento Ocupa DOPS.
Alessandra Ramos: tradutora, produtora cultural e ativista pelos Direitos Humanos de pessoas trans.
Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ, sala 400

22h_Cia Marginal apresenta o espetáculo “O, Lili”, baseado em uma série de conversas com pessoas presas em penitenciárias do município do Rio de Janeiro.
(+) Festa com AnarcoFunk, bebes e comes veganos.
Atrás do IFCS, ao lado do teatro João Caetano.

Até que todxs estejamos livres!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *