HIDEKI ABSOLVIDO!

Hoje, 26/06/2015, foi publicada a sentença do processo criminal – e criminoso, ilegal, persecutório – contra Fábio Hideki Harano e Rafael Marques Lusvarghi. Ainda bem, ambos foram absolvidos de todas as acusações!

Sendo considerados inocentes, continuam como réus primários, com a ficha criminal limpa, sem carregar a sujeira das acusações calhordas de que foram alvo. A sentença completa pode ser lida em http://esaj.tjsp.jus.br/cpo/pg/show.do?processo.codigo=1E001QHTS0000&processo.foro=50 .

Todavia, o Ministério Público do estado de São Paulo ainda pode recorrer da decisão, fazendo uso de segunda instância – ou seja, o Tribunal de Justiça do estado de São Paulo. Assim, não é ainda momento para completo alívio!

meme-absolvicao

O Ministério Público do estado de São Paulo, a Polícia Civil (mais especificamente o DEIC – Departamento Estadual de Investigações Criminais), a Polícia Militar, a Secretaria de Estado dos Negócios da Segurança Pública (SSP), o então secretário Fernando Grella Vieira, o PSDB e o governador Geraldo Alckmin por ora não conseguiram condenar judicialmente as duas vítimas de uma armação desmedida.

A criminalização criminosa foi tão descarada que incluiu itens considerados explosivos de antemão para que Hideki e Rafael ficassem presos por 46 dias de modo inafiançável. Cumpriram prisão preventiva, que deveria ser a exceção mas que muitas vezes é a regra diante de tanta falta de presunção da inocência. Além dos objetos não serem explosivos, conforme concluído por perícia criminal, Fábio e Rafael nunca sequer tocaram os itens descaradamente forjados! E nem sabiam os nomes nem apelidos um do outro! Mesmo assim ficaram presos para, mais de um ano depois, serem absolvidos.

O delegado do DEIC Carlos César Castiglioni comandou os ataques da noite de 23/06/2014. Os policiais civis Douglas Dias Torres, Rafael Adami Schiavinato, Danilo Baptista Scapulatiello, Marcos Zavam Peres, Rodrigo Luiz Amaral Apollonio, Silvio Paulo Borelli Barboza e Luiz Cesar Milani Bernardi, do DEIC, além de participarem das espúrias prisões, testemunharam no processo, expressando diversas contradições.

Os policiais militares Edson Garnica Mota, Macoot da Silva Ribas, Clayton Fogarolli da Silva, Vagner Alves de Almeida e Rafael Gonçalves de Lima engrossaram a lista de testemunhas, com mais contradições e trapalhadas vergonhosas.

E a promotora do MP Tatiana Callé Heilman bem que tentou levar adiante as acusações calhordas contra Fábio Hideki Harano e Rafael Marques Lusvarghi.

Não conseguiram!

<span class=”_5yl5″ data-reactid=”.ei.$.2:0.0.0.0.0″><span data-reactid=”.ei.$.2:0.0.0.0.0.0″>Por mais que se diga que Hideki passou por maus bocados, deve-se lembrar que os chacinados pela PM paulista (não só) em maio de 2006 e as centenas de milhares de despejados anônimos a pretexto da Copa e das Olimpíadas sofreram e sofrem muito mais, de maneira elitista, sórdida e desumana.

Produzida Por Palavras Pensadas, Poesia Pelo Povo (10-08-2013)

Poesia preparada previamente – 10/08/2013 – por Fábio (Phábio, poeticamente?). PALMARES PRESENTE!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *