México D.F. – Segue a greve de fome dos presos em resistência: Chamado a ação solidária

Cruz Negra Anarquista México

6 companheiros prisioneiros da Prisão do Norte que iniciaram uma greve de fome em 27 de julho foram movidas a partir do quarto em que eles foram a uma célula na área de entrada no qual eles são mantidos segregados do resto da população da prisão.

As autoridades da prisão consideram que Fernando Barcenas e Bryan Reyes são os organizadores do movimento, por isso, em 30 de junho eles foram notificados de uma convocação para a Câmara Técnica de uma suposta agressão a um guarda quando os colegas tentaram entregar a declaração de requisitos para o diretor e vários guardas impediram sua passagem. Esta intimação foi certamente uma estratégia para intimidar os grevistas, porque durante a sessão de CT não se mencionou o incidente.

Peers Julian Lopez Barron, Irwin Garcia Freire, Luis Lozano Urgell e Jose Santiago Hernandez são constantemente desafiados pela equipe da instituição para saber se alguém pagou para fazerem o protesto, além de pressioná-los a abandoná-la, dizendo que o processo pode entrar em grandes problemas e oferecendo-lhes “o que eles queiram” em troca de desistir.

Em 1 de Julho, um membro da equipe médica unida conseguiu entrar para verificar os colegas e relatórios que são estáveis, eles se recusaram a receber água ou mel por parte da instituição e consumir apenas o que suas famílias têm sido capazes de alcançá-los.

Apesar greve intimidação continua, a cada dia solidariedade entre pares é reforçada, frustrando assim as estratégias das autoridades penitenciárias para dividir e, assim, enfraquecer o movimento.

Deve demonstrar que eles não estão sozinhos, que a solidariedade transcende os muros da prisão e se estende para as ruas, por isso apela para um comício anti-prisão na frente da Secretaria de Sistema Penitenciário da Cidade do México, localizado em San Antonio Abad 124 Transit em 6 de julho, às 11 horas.

Também está convidado a colaborar com água, mel, limão e / ou laranja para atacar. Eles serão recebidos na Biblioteca social Reconstruir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *