[Mexico] Carta das compas Amelie Pelletier e Fallon Poisson + Atualização Prisões Mexicanas pt. 1

Carta de Amelie e Fallon

Publicada 20/11/14 em Contra-Info

Hoje faz mais de 10 meses que estamos em cana. Nas últimas semanas que se passaram, nos renderam duas sentenças: federal e comum. No primeiro de novembro o juiz Manuel Muñoz Bastida do  oitavo juizado federal do Reclusorio Sur nos ditou a sentença de 7½ anos de cadeia sob a acusação de “Incendio a edificio público com gente dentro”, isso pelos danos causados à “secretaría de comunicación y transporte do México”. As “pessoas de dentro” são os porcos federais a cargo da segurança do lugar. Logo, dia 7 de novembro, recebemos a segunda sentença pelas acusações de foro comum de “Danos a propiedade” e “ataque a paz pública”. Essas acusações se referem ao ataque feito a concessionária de carros Nissan. Encontrando-se a uma esquina da STC e aonde queimamos os carros. A juiza Margarita Bastida Negrete do tribunal de foro comum #18 do Reclusorio Oriente nos deu uma sentença de dois anos e sete meses de cadeia, juntando com os dois delitos em um, então os danos a propiedade se transformaram na reparação dos danos e ficamos com o delito de ataque a paz pública e a reparação dos danos que são de 108.000 pesos. Segundo a lei, todas as sentenças menores de 5 anos para os infratores sem antecedentes tem direito a alguns benefícios. No nosso caso, se pagamos a multa de 43.000 pesos nos dão a imediata libertade ou podemos sair sob fiança pagando 10.000 pesos cada umx e se apresentando todo mês a juízo durante 2 anos e 7 meses.

Nos dois processos estamos com apelação porque o MP apelou a sentença do foro comum e nós a sentença federal. Dentro de 5 meses nos vão dar as resoluções. Na verdade, é a sentença federal que nos retém aqui, presxs. Para poder sair, a sentença federal deverá ser inferior a 5 anos. Assim, veremos nos próximos meses se há uma possibilidade de sair deste lugar.

Nos informaram do aparecimento de um artigo no jornal quebequense “La Presse” do autor Philippe Teisceira-Lessard, um dos jornais mais lidos em Quebec. Estamos be, enojadxs pelo aparecimento deste artigo que fala de nosso caso, que cita em parte as cartas públicas e que nosso advogado relatiou ao jornalista. Nunca pedimos a nenhum meio de massas para dar difusão do caso, nem se quer autorizamos ao nosso advogado comunicar nossas informações a nenhum jornalista. Si temos algo a comunicar, preferimos fazer-lo nós mesmxs. Os meios de comunicacção massiva são inimigos igual a polícia, as mais poderosas ferramentas de controle social que existem até agora. Dito isto, que este desgralçado de Philippe Lessard deixe de assediar nossas famílias e também que fique claro que não precisamos de seus artigos para falar de nossa situação.

Então, assim seguimos, com força no coração enfrentando a justiça e o estado. Não esperamos nada da justiça ainda quando temos muita vontade de sair em liberdade. Força a nosso cumplice Carlos Lopez Marin (no Oriente), ao compa Luis-Fernando (ao Sul), a Fernando e Abraham (ao Norte). Também, um saudo a Mario Gonzales agora em liberdade e um abraço muito forte a Felicity, Tripa e a bruja.

Fogo a civilização, guerra contra a sociedade.
Até a liberdade e mais adiante!
Amelie
Fallon
Santa Martha

—————————-

Atualização dos casos de presos anarquistas no México:

Mario Gonzalez, estudante preso antes da marcha de 2 de outubro do ano passado (2013) no México, acusado de apresentar alta periculosidade para a paz pública, foi inocentado e liberto no último dia 31 de outubro de 2014, mais de 1 ano depois de sua detenção. As perseguições políticas e o terrorismo do estado mexicano, no entanto, se intensificam.

Mario havia sido preso junto de 8 amigos quando estavam caminhando para uma manifestação em memória aos estudantes mortos em Tlatelolco (1968), eles foram golpeados e torturados com choques elétricos e ataques físicos e encarcerados sob falsas acusações de atentado contra a paz que nunca aconteceram. Misteriosamente os vídeos das ruas da localidade, exigidos pela defesa, sumiram. No dia 8 de outubro todos foram liberados sob fiança, menos Mario que ao sair da prisão com uma camiseta cobrindo o rosto, foi detido novamente pelos agentes de autoridade judiciais, acatando as suspeitas infundadas de alta periculosidade do estudante. Mario organizava o movimento estudantil da UNAM contra as políticas neoliberais na educação e foi perseguido e expulso pela reitoria da UNAM do Colégio de Ciências e Humanidades, onde estudava.

Mario participou em outubro deste ano, antes de ser solto, de sua segunda greve de fome, desta vez junto de outros 3 presos anarquistas encarcerados pelo estado mexicano, Abraham Cortes, Fernando Barcenas e Carlos Lopez, que permanecem presos. Abraham, artesão oaxaquenho preso no mesmo dia que Mario, foi sentenciado dia 1 de Outubro de 2014 a 13 anos e 4 meses de prisão por tentativa de homicidio, desacato a autoridade e pertubação da paz pública;

Fernando Barcenas foi preso em 13 de dezembro de 2013, durante os protestos o aumento do preço das passagens de metro na Cidade do México. Desde então se encontra na prisão preventiva no Reclusorio Norte a espera da sentença, acusado de ataques a paz pública pela queima da árvore de natal da empresa Coca-Cola.

Mais informações sobre Abraham e Fernando escreva um email:

libertadparaabrahamyfernado@gmail.com
cna.mex@gmail.com

Carlos Lopez foi preso junto de Amelie Trudeu e Fallon Roullier em janeiro de 2014 acusadxs de participar no ataque com pedras e coquetéis molotov nas instalações da Secretaría de Comunicaciones y Transportes e uma concessionária NISSAN na Cidade do México. Foram detidxs por 40 dias sob a acusação de terrorismo, que caiu por falta de provas dia 17/03/14. No entanto, permaneceram em prisão preventiva pela acusação pendente de danos e ataque a paz pública. Seu julgamento começou 3 de abril de 2014, e em 16 de maio de 2014 se anunciou que xs três compas teriam que enfrentar diferentes processos penais; um de foro local pelo ataque à concesionaria Nissan e outro federal pelo ataque à Secretaría de Comunicaciones y Transporte.

Para escrever a Carlos:

Reclusorio Preventivo Oriente
Carlos López Marin
Calle Reforma #50
Col. San Lorenzo Tezonco,
Deleg. Iztapalapa
C.P. 09800

Para escrever a Fallon e Amélie:

Centro Feminil de Reinsercion social Santa Martha Acatitla
Amélie Trudeau / Fallon Rouiller
Calzada Ermita
Iztapalapa No 4037
Colonia Santa Martha Acatitla
Delagation Iztalpalapa
C.P. 09560

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *